Operação desarticula quadrilha envolvida em roubos a casas em bairro de luxo de Cuiabá

Uma das vítimas foi um delegado da Polícia Federal, que, além de ter seu carro e arma roubados, foi amarrado com fios juntamente com seu filho

(Da Assessoria)

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO) de Mato Grosso, coordenada pela Polícia Federal, deflagrou nesta quinta-feira (5), nas primeiras horas da manhã, a Operação G-CROSS, com o objetivo de desarticular um grupo criminoso suspeito de invadir residências para subtração de eletroeletrônicos e veículos, restringindo, para isso, a liberdades das vítimas, deixando-as amarradas.

Os suspeitos agiam normalmente em um grupo de quatro integrantes e tinham preferência por residências de luxo, localizadas na região do Bairro Santa Rosa, em Cuiabá. Uma dessas vítimas foi um delegado da Polícia Federal, que, além de ter seu carro e arma roubados, foi amarrado com fios em um dos cômodos da residência, juntamente com seu filho.

Durante as investigações, identificou-se que o bando também atua em diversos outros delitos, como furtos, golpes através de aplicativo OLX e tráfico de drogas. Todos os suspeitos possuem extensa ficha criminal, apesar da pouca idade.

Foram cumpridos cinco mandados de prisão e oito mandados de busca e apreensão com o objetivo de colher provas e localizar os objetos subtraídos das vítimas. A ação contou com apoio de equipes do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil Gerência de Operações Especiais (GOE), Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).

As investigações terão continuidade para identificar outros integrantes do grupo criminoso, bem como localizar os objetos subtraídos das vítimas.

A FICCO/MT consiste em uma força tarefa composta pela Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Judiciária Civil, Polícia Militar e sistema prisional e tem por objetivo realizar uma atuação conjunta e integrada no combate ao crime organizado que atua no Estado do Mato Grosso.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem mata a filha de seis meses ao tentar agredir a esposa e acertar a bebê
Próximo artigoAmamentação de prematuros: médica esclarece mitos e dá dicas