Operação da PF apura participação de facção criminosa em candidatura de vereador

Os crimes investigações na operação são lavagem de capitais, formação de organizações criminosas e estelionato mediante fraude eletrônica

(Foto: PF MT)

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (23) a Operação Segundo Caminho, para apurar a participação de membros de uma facção criminosa nas eleições de 2020 patrocinando a candidatura de um vereador de Barra do Garças (520 km de Cuiabá).

Nove mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, todos expedidos pela Justiça Comum Estadual de Cuiabá, foram cumpridos nesta manhã em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Barra do Garças.

A operação Segundo Caminho é um desdobramento da Operação Captura de Estado, deflagrada em 2020, que apurou a atuação de suspeitos de cometerem crimes afim de financiar uma facção criminosa na região do Vale de Araguaia.

Os crimes investigações na operação são lavagem de capitais, formação de organizações criminosas e estelionato mediante fraude eletrônica.

Somadas, as penas máximas dos crimes pelos quais os investigados estão sendo acusados passam de 20 anos de reclusão.

(Foto: PF MT)

Como parte dos investigados são membros de uma facção criminosa, houve a participação de cães farejadores e do Grupo de Pronta Intervenção (GPI) durante as buscas.

O nome da operação, Segundo Caminho, é referente à declaração de um dos alvos, que afirmou que no mundo do crime existem três caminhos: a igreja, a prisão ou a morte.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“STF perdeu força e credibilidade frente à opinião pública”, avalia Sergio Moro
Próximo artigoPolícia Civil cumpre 10 mandados para apurar roubo de defensivos agrícolas