Operação Catarata: Mauro Mendes critica “papagaiada” da Caravana da Transformação

Operação do Gaeco investiga contrato com empresa que recebeu R$ 42 milhões por cirurgias e procedimentos oftalmológicos

(Foto: Assessoria)

O candidato a governador pelo DEM, Mauro Mendes, disse que pretende mudar o formato da Caravana da Transformação, diante da operação desta segunda-feira (3). Ele admite manter o serviço itinerante de saúde, mas sem a “papagaiada” do programa do governador Pedro Taques (PSDB), que é seu adversário e disputa a reeleição.

“Com esses desvios que estão sendo apresentados, certamente não”, disse, ao ser questionado se manteria a Caravana caso seja eleito, em entrevista coletiva depois do encontro de candidatos da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), no Cenarium Rural.

“Podemos fazer o serviço de saúde melhorar, fazer a saúde itinerante. Não vejo problema nenhum. Mas vejo formas mais eficientes, sem papagaiada, sem gastos desnecessários com diárias, com tendas, com propaganda e pouco dinheiro efetivamente aplicado no que é objetivo. Podemos usar modelo de saúde móvel, mas não nesse formato, muito menos com esses desvios”, completou.

Mauro disse que é “lamentável” o governo Taques ser envolvido em mais uma operação e disse que esperava do ex-aliado um governo “minimamente ético”. “É lamentável que mais uma vez tenhamos notícias de desvios de comportamento ético nesta administração, que nós esperávamos muito. É mais uma frustração de nós, mato-grossenses, que acreditamos que esse poderia ser minimamente um governo ético”, disparou.

Parceria com filantrópicos

O candidato do PR ao governo, o senador Wellington Fagundes, criticou o fato de o governo contratar uma empresa de São Paulo para fazer as cirurgias na Caravana. No entanto, ele evitou comentar as suspeitas que pairam sobre o contrato.

“Um programa como esse não pode ter desvios. Eu quero fazer os mutirões. Mas por que não usar médicos daqui mesmo, as unidades nos municípios, fortalecendo micro regionalmente essa questão da saúde, as filantrópicas? Temos o Instituto Lions de Visão, que poderia ser parceiro do governo para resolver esse problema. Mas o governo foi buscar de fora”, comentou.

Operação Catarata

A Operação Catarata, deflagrada pelo Grupo de Atuação Contra o Crime Organizado (Gaeco) nesta segunda-feira (3), investiga o contrato do governo com a empresa 20/20 Serviços Médicos S/S, que realiza as cirurgias oftalmológicas na Caravana da Transformação. A empresa recebeu mais de R$ 42 milhões da Secretaria de Saúde nos últimos três anos, segundo o portal Mira Cidadão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTSE faz campanha contra voto em branco e abstenção nas eleições 2018
Próximo artigoApós um ano no ensino médio, 1 em cada 4 estudantes deixa a escola

O LIVRE ADS