Oficiais participam de instrução de sobrevivência policial para horários de folga

A instrução é preventiva já que as estatísticas apontam que agentes públicos de segurança pública morrem mais em períodos de folga do que em serviço

Foto: Polícia Militar

Neste mês de janeiro a Polícia Militar realiza a 12º edição do Curso de Sobrevivência Policial, na sede do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), em Cuiabá. A capacitação busca instruir os policiais sobre como devem se portar e agir durante os momentos de folga do trabalho; períodos considerados mais vulneráveis aos agentes de segurança pública, já que as estatísticas apontam que agentes públicos de segurança morrem mais nestes períodos.

O curso de sobrevivência policial é ministrado por instrutores do Bope. Treze oficiais (coronéis e tenentes- coronéis) da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e da Secretária de Estado de Segurança Pública (Sesp) participam da capacitação.

O treinamento submete os policiais a passarem por simulações que podem ocorrer com o militar durante a folga, criando situações de estresse, para que ele possa saber lidar adequadamente com o momento crítico onde a única missão é sobreviver.

Polícia Militar

Participante da 12º edição do curso, o coronel Fábio Bastos, comandante do 8º Comando Regional de Juína, conta que a instrução é extremamente importante, ainda mais para os militares que atuam no interior do estado.

“Esse aprimoramento nos ensina técnicas que previnem possíveis ações contra a nossa vida nos momentos de descanso e salvam não só a vida do policial, mas da nossa família também, porque enfrentamos os criminosos diariamente e de frente, o que nos deixa expostos a qualquer pessoa mal intencionada”, destaca o oficial.

Técnicas simples de disparo aproximado que auxiliam o policial, oficinas com simulações em locais como lojas, farmácias onde o objetivo do meliante é praticar um roubo, por exemplo, fazem parte da carga horária do curso, como esclarece o instrutor tenente Victor Santos Feliciane.

“Aqui ensinamos os policiais a sobreviver, desconstruímos técnicas de tiro convencionais, trazemos técnicas simples, que podem auxiliá-los nos horários de folga. Situações rotineiras são simuladas para que o militar possa sobreviver e não combater, porque ele não está de colete e está sem seu parceiro de trabalho para apoiá-lo em situações de crise” conta o instrutor.

A PM, por meio do curso de sobrevivência policial, capacitou, em suas 12 edições, mais de 350 alunos. Em 2021 a corporação segue capacitando profissionais, além dos 13 oficiais que seguem fazendo a instrução, nos dias 18 e 22 de janeiro, a Polícia Militar instruiu 27  profissionais da segurança pública como militares, policiais federais e promotores de justiça.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid-19: Brasil passa de 9 milhões de casos
Próximo artigoForças de segurança buscam idoso de 68 anos desaparecido em floresta de MT