OAB-MT pede fim do sigilo da delação de Silval

Emanuel

A Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT) vai pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) que retire o sigilo imposto pelo ministro Luiz Fux sobre os depoimentos do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). O pedido deve ser protocolado ainda nesta sexta-feira (25).

Na noite de quinta-feira (24), o Jornal Nacional, da TV Globo, divulgou imagens do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), recebendo maços de dinheiro do então chefe de gabinete de Silval.

O argumento da Ordem é o interesse público sobre os fatos relatados por Silval em acordo de delação premiada. O ex-governador citou – e apresentou vídeos – pagamentos de propina a políticos das mais diversas esferas de poder em Mato Grosso. Entre eles, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), deputados estaduais e federais, prefeitos e empresários.

A OAB defende ainda que o fim do sigilo vai evitar “vazamentos seletivos” do conteúdo dos depoimentos do ex-governador. “Defendemos a publicidade dos processos até para que os citados não sejam acusados, julgados e condenados pela opinião pública sem a chance de produzirem suas defesas”, justificou o presidente da Ordem, Leonardo Campos.

Campos ponderou entender a necessidade de sigilo, em alguns casos, para dar segurança às investigações. Destacou, no entanto, que trechos da delação de Silval já vieram à público, portanto, a apuração não seria comprometida neste caso específico.

“Esse acesso é necessário e não prejudica as investigações porque vários trechos já foram vazados, inclusive com material audiovisual que merece uma análise séria por parte da sociedade”, comentou.

Em março do ano passado, o Conselho Federal da OAB foi ao STF pedir o acesso ao conteúdo da delação do ex-senador Delcídio Amaral. Neste ano, em maio, a Ordem também solicitou junto ao Supremo o levantamento do sigilo da colaboração premiada firmada pelos irmãos Wesley e Joesley Batista, da JBS.

(Com informações da assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTemer nomeia Carlos Bastide Horbach juiz substituto do TSE
Próximo artigoMP baiano diz que alerta desde 2007 sobre serviço de barcos falho