O que eu aprendi com Forrest Gump?

Se você ainda não viu esse filme, pare agora esse artigo e corra para assistir, valerá a pena. Além disso, essas palavras aqui não vão a lugar algum.

Se você já assistiu, então, vamos começar.

Os filmes podem ser e são fonte de grande entretenimento, porém, é possível extrair muito mais de alguns filmes. E, esse é um hábito que incorporei na minha vida faz algum tempo. Dificilmente assisto um filme somente pela diversão, preciso sair ao final dos 90 minutos com lições e reflexões, – além de boas risadas ou lágrimas.

Forrest Gump é um grande filme, talvez, um dos meus favoritos. Lançando em 1994, conta com uma atuação primorosa do Tom Hanks interpretando o protagonista.

As reflexões possíveis através do filme são várias, mas quero pontuar apenas algumas.

1 – Forrest é obediente.

Desde pequeno ele escutava atentamente o que dizia a sua mãe. Ela o mostrava como compreender o mundo, e ele sempre confiou muito nela. Quando sua amiga Jenny pedia para ele correr, ele corria. No exército, ele também teve muita facilidade, porque ele sabia muito bem cumprir ordens. Até quando ele aprende ping-pong, a orientação que ele recebe é apenas: “Não tire o olho da bola”, e, assim ele faz, e com muito sucesso.

2 – Forrest tem um lar.

Durante todo o filme, o Forrest praticamente roda o mundo, entre guerras, competições, pescarias e outras aventuras. Mas, ele sempre tem para onde voltar, há um lar. Isso o dá forças para cumprir suas missões, porque ele tem para onde voltar. O exato oposto acontece com sua amiga, Jenny. Ela já não tem um lar, e teve sua infância destruída por um pai abusador. Ela não tem para onde voltar, por isso, vaga por aí sem destino.

3 – Somente o necessário.

Olhar o mundo através dos seus olhos é uma experiência cômica, mas, também pode ensinar muito. Seja quando ele obtém os maiores sucessos, como receber medalhas de honra, ou, em seus momentos mais tristes, como a morte da sua mãe: Forrest nunca se deixa levar nem por um polo, nem por outro. Ele mostra que a vida continua nas maiores alegrias ou nas maiores tristezas.

Separei somente esses três pontos, mas daria para falar muito mais. Meu objetivo aqui é que você possa fazer o mesmo dos filmes que assistir. Tente extrair o máximo em reflexões e aprendizados, porque há muitos bons filmes que oferecem materiais muito ricos para isso.

Marco Túlio é músico, publicitário e professor. Seu instagram é @omarco.tulio

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA força do voluntariado em tempos de crise
Próximo artigoPS Plus: Conheça mais sobre a Plataforma de Assinantes do Playstation