“O presidente entendeu que precisa ceder”, diz Geller sobre nomeação de Ciro Nogueira

Deputado federal nega que a escolha de Bolsonaro para a Casa Civil conduza o presidente para perto da "velha política"

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O Partido Progressista (PP) conseguiu cavar a indicação do senador Ciro Nogueira, presidente nacional da sigla, para a Casa Civil, coração do governo federal. A nomeação do parlamentar deve abrir o modelo do Bolsonaro para a “política mais orgânica”, de manutenção de status. 

Próximo aos membros da cúpula nacional, o deputado federal Neri Geller (PP-MT) diz ser “natural” o acordo que o partido conseguiu costurar no Palácio do Planalto. Ele rejeita o rótulo de “velha política” e diz que a decisão de Bolsonaro faz parte da “maturação” do governo. 

“Essa história de velha política não existe. O extremismo radical não é bom para ninguém, e o presidente percebeu que também precisa ceder. A escolha pelo PP foi natural, já vínhamos fazendo o papel de conciliação desde a eleição do [deputado federal] Arthur Lira (PP-AL) [para a presidência da Câmara Federal]”, disse. 

Geller é um progressista da ala partidária mais próxima a Bolsonaro. O nome dele já apareceu em especulação para assumir o Ministério da Agricultura, Produção e Abastecimento (Mapa) no ano passado. Segundo ele próprio, a indicação ficou para uma secretária executiva, dentro da Pasta, mas que ainda não foi efetivada. 

Porém, Ciro Nogueira chegou à Casa Civil em um momento em que a relação do presidente com a Câmara Federal está à beira do desgaste por causa do Fundo Eleitoral de R$ 5,7 bilhões. O financiamento foi articulado pelo “centrão” no Congresso Nacional. 

“O Lira já vem fazendo essa articulação do Câmara Federal com o presidente Bolsonaro. Agora, vamos conseguir fortalecer o partido. Nós queremos ajudar o governo a ganhar um aspecto mais pragmático. Esse lado mais ideológico não tem ajudado muito a ninguém”, afirmou Geller. 

A política mais pragmática passaria pela reavaliação de questões polêmicas defendidas pelo governo federal, como o voto eletrônico auditável.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJuízes de MT cobram reajuste do auxílio-alimentação
Próximo artigoGrampos ilegais: cabo Gerson cobra perdão judicial por contribuir com investigações