O LIVRE corrige uma injustiça

Ao noticiarmos um crime que envolveu uma travessia a nado do Rio Cuiabá, fomos injustos com a sargento da PM Anaconda Monteiro. Hoje, nos retratamos

(Foto: Secom)

Em 19 de setembro de 2019, a equipe do LIVRE cometeu uma injustiça. Ao noticiar uma situação inusitada em meio a um assalto – um homem que resolveu atravessar a nado o Rio Cuiabá para fugir de uma troca de tiros -, afirmamos que Anaconda Monteiro Barros de Moraes, na época com 37 anos, era uma das pessoas detidas.

Nesta sexta-feira (11), após tomarmos conhecimento do equívoco, publicamos uma correção. Anaconda, na realidade, é a sargento da Polícia Militar que identificou o momento em que a vítima foi abordada pelos bandidos, comunicou o crime ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e acompanhou todo o desfecho do caso.

Um caso que, justiça seja feita (novamente), terminou com a recuperação da caminhonete que havia sido roubada – graças ao trabalho célere e prestativo da PM no momento do ocorrido -, a prisão de um dos bandidos e a vida sã e salva do rapaz que, devido ao medo, atravessou o Rio a nado.

À sargento Anaconda Monteiro, à toda corporação da Polícia Militar de Mato Grosso e a você, leitor que nos acompanha, pedimos humildemente desculpas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMiss Cuiabá Plus Size 2020 acontece na noite desta segunda (14)
Próximo artigoTJMT suspende lei que autorizava VI de R$ 7 mil a chefes de gabinetes