O fim que se esperava

Vereadores de Cuiabá encerram CPI do Paletó arquivando denúncias contra o prefeito Emanuel Pinheiro

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Marcada por polêmicas desde a coleta das assinaturas necessárias para ser instaurada, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) “do Paletó” foi, enfim, concluída nesta quinta-feira (16).

E como o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) sempre teve maioria de apoiadores na Câmara de Cuiabá, o relatório que pedia seu afastamento do cargo e a instauração de um processo por quebra de decoro e obstrução da Justiça foi derrubado.

Foram 13 votos contra e 9 a favor das punições sugeridas no texto.

Emanuel passou a ser investigado depois que os vídeos anexados como provas na delação do ex-governador Silval Barbosa vieram à tona. Neles, diversos políticos – entre eles o prefeito – aparecem recebendo dinheiro, supostamente propina.

O principal questionamento sobre a “validade” da CPI na Câmara Municipal era embasado no fato de as imagens – e portanto o suposto crime – serem datados da época em que Emanuel ainda era deputado estadual.

Devido aos fatos não terem ligação com seu atual mandato, nem mesmo o Ministério Público requereu seu afastamento do comando da Capital.

Mas esse não foi o único problema da CPI. A própria composição dela se tornou caso de Justiça e atrasou consideravelmente sua conclusão.

Por fim, dois relatórios acabaram sendo apresentados. O do relator – vereador Toninho de Souza (PSDB) – livrava o prefeito das acusações, mas foi rejeitado pelos demais membros da CPI.

Outro texto, então, escrito pelo vereador Sargento Joelson (SDD) foi o levado à plenário nesta quinta, mas reprovado pelos demais parlamentares.

Agora, todos os documentos produzidos ao longo da CPI serão encaminhados aos órgãos de controle, como o Ministério Público.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem que morreu em casa recusou internação por conta da covid
Próximo artigoALMT suspende sessões