“O céu seria ladear com Joaquim Barbosa”, diz Selma sobre escolha por Bolsonaro  

Juíza aposentada diz que não escolheu PSB, provável partido de Joaquim Barbosa, por uma questão ideológica

Ficou muito claro o esforço da juíza aposentada Selma Rosane Arruda para se distanciar de alguns posicionamentos do pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro durante coletiva de imprensa de filiação ao Partido Social Liberal (PSL) nesta quinta-feira (05) em Cuiabá. Um pouco mais moderada que o seu correligionário, Selma chegou inclusive a elogiar um provável opositor do deputado carioca no pleito de 2018, o ex-ministro Joaquim Barbosa, que pendurou a toga em 2014 e agora se projeta como pré-candidato à Presidência da República.

Mesmo com a oficialização do convite para disputar o senado pelo PSB, provável partido de Barbosa, Selma disse ter declinado da proposta, uma vez que sua decisão e sua inclinação pelos sociais liberais já estava cada vez mais consolidada. O convite dos socialistas, feito há cerca de três dias – segundo informou a própria juíza – não foi suficientemente convincente.

A negativa, no entanto, não impediu os elogios ao ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF). Na avaliação de Selma, o ideal seria uma chapa com Joaquim Barbosa. “O céu seria ladear uma campanha com Joaquim Barbosa, mas até por motivos ideológicos eu preferi o PSL”, comentou ela.

Selma negou que a escolha pelos Sociais Liberais foi motivada pelo ingresso do PSB na campanha de Taques à reeleição. Na opinião dela, Barbosa se posicionou mais à esquerda. Sua pouca experiência política também foi vista como um ponto a menos – o que Bolsonaro teria de sobra, visto os seus sete mandatos no legislativo brasileiro.

“Eu não cheguei a pensar muito profundamente porque o convite do PSB foi muito recente, e eu já estava praticamente definida com relação a outra corrente ideológica. O PSB já é um partido mais de esquerda”, comentou.

Além disso, o convite do PSB foi realizado antes do acordo feito em Brasília na última terça-feira (03), quando os membros da agremiação bateram o martelo pela participação na campanha de Pedro Taques (PSDB). Nos bastidores, Selma já se mostrou incomodada com qualquer proximidade com o governador, já que ela mesma chegou a comandar processos judiciais de esquemas de corrupção desbaratados durante a administração dele, como foi o caso da Operação Rêmora.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS