Número de motoristas presos por embriaguez cresce 210% na pandemia

Ano com menor circulação de pessoas e menos blitz nas ruas não impediram que flagrantes batessem recorde

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

As prisões por embriaguez aumentaram 210% em Mato Grosso em 2020. O ano atípico, com isolamento social e restrição de circulação durante a pandemia, não impediu que os flagrantes batessem recorde. 

Balanço do Batalhão de Polícia Militar de Trânsito Rodoviário e Urbano divulgado nessa sexta-feira (8) informa que 93 condutores foram presos entre janeiro e dezembro do ano passado após serem flagrados bêbados ao volante. 

Esse número poderia ser maior. As edições da Operação Lei Seca ficaram suspensas de março a outubro como medida para evitar aglomeração de pessoas, dentro das regras de evitar contato durante a pandemia. Houve reflexo nos números fiscalização.   

Segundo o comandante do Batalhão de Trânsito, tenente-coronel Adão César Rodrigues, em 2019, 14.491 motoristas passaram pelo teste de alcoolemia (bafômetro), enquanto em 2020, foram 10.009.  

“Infelizmente, o condutor que não tem educação no trânsito e não se preocupa com o pedestre, com outros condutores, só sente quando é abordado, preso, atuado e multado”, lamenta o comandante.   

As autuações administrativas por alcoolemia em 2020 foram 865. Esses são os casos em que não caracteriza a embriaguez, porém o exame aponta índice de álcool entre 0,05 e 0,33 miligramas de álcool por litro de ar expedido. Nessa situação o condutor é multado, tem a documentação apreendida, porém não é preso. 

O número de multas também foi superior em relação a 2019. No ano passado, os registros ficaram 48% acima, com 57.754 – foram 27.006 em vias urbanas e 23.748 em rodovias estaduais. Em 2019, foram 34.337, 17.175 urbanas e 17.162 em rodovias. 

No ano passado ainda foram apreendidas 833 carteiras de habilitação (CNH), 3.190 certificados de licença veicular (CRLV) recolhidos, 1.208 veículos removidos, 912 dentro das cidades e 296 em rodovias. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAnvisa atualiza pedidos emergenciais e solicita mais dados ao Butantan
Próximo artigoMulher é agredida ao encontrar companheiro com outra dentro de casa