Novos laudos apontam que médica que matou verdureiro estava a 101 km/h

Nas análises de vídeos peritos descobriram, ainda, que existia uma pessoa no local do acidente, possivelmente uma testemunha

O veículo que atropelou e matou o verdureiro Francisco Lúcio Maia, no dia 14 de abril de 2018, na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, estava a 101 km/h imediatamente após o acidente. A constatação é de um novo laudo da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

O documento, elaborado pela Gerência de Perícias em Áudio e Vídeo da Politec, foi entregue no último dia 23. Ele foi confeccionado com base na análise de vídeos de circuitos internos de segurança que flagraram o atropelamento.

Os peritos observaram ainda que o veículo estava com a terceira luz de freio (brakelight) acesa imediatamente após a colisão e que não havia nenhum veículo à frente – conforme verificado no vídeo e também consignado no laudo de trânsito.

As análises apontaram, ainda, que existia uma pessoa próxima ao verdureiro, no canteiro central da avenida, no momento do impacto, ou seja, alguém possivelmente testemunhou o acidente.

LEIA TAMBÉM

Além dos vídeos que registraram o atropelamento, foram objetos de análise dos peritos outros vídeos gravados em outros pontos da cidade por onde o veículo – compatível com o do acidente – esteve após o fato.

Por que um novo laudo?

As novas perícias sobre o caso foram requisitadas pela 12ª Vara Criminal em setembro de 2020. A ideia era apontar as causas do acidente e se era possível evitá-lo ou não. Isso,  considerando minuciosamente todas as circunstâncias do atropelamento.

Os quesitos formulados pelo magistrado foram respondidos em dois laudos periciais emitidos pela Diretoria Metropolitana de Criminalística, sendo eles o de local de acidente de trânsito e a perícia de áudio e vídeo.

O laudo pericial do local do fato foi entregue no dia 22 de dezembro de 2020. O de áudio e vídeo agora, no 23 de fevereiro.

Com o resultado, não foi possível determinar exatamente a movimentação da vítima. O problema foi a baixa qualidade dos vídeos e o fato de existir uma pilastra na fachada da empresa, que obstruiu exatamente a área da colisão.

O caso

O verdureiro Francisco Lucio Maia, 48 anos, foi atropelado por um Jeep Compass na noite de 14 de abril de 2018, quando terminava de atravessar a Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá. No momento da colisão, ele tentava subir o carrinho de verdura na calçada. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu na hora.

A médica Letícia Bortolini, 37 anos, foi presa no mesmo dia, assumiu estar dirigindo e foi autuada por homicídio culposo e omissão de socorro.

Ela estava acompanhada do marido, o também médico Aritony de Alencar Menezes, e estava dirigindo sob efeito de álcool. Ela fugiu do local sem prestar socorro.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça de Mato Grosso arquiva ação de improbidade contra Válter Albano
Próximo artigoSão Paulo divulga plantel oficial para disputa de competição de esportes eletrônicos