Novembro Roxo: 11% dos nascidos no HG são prematuros

Este ano, 95 bebês nasceram antes das 37 semanas de gestação. A prematuridade é a principal causa de mortes de crianças até os 5 anos

(Foto: Wayne Evans / Pexels)

Em todo o mundo, 15 milhões de crianças nascem prematuras todos os anos, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). No Brasil, a estimativa é de que, anualmente, 340 mil bebês nasçam antes de 37 semanas de gestação.

Ainda de acordo com o levantamento, a prematuridade é considerada a principal causa de morte em crianças nos primeiros 5 anos de vida no país.

Em 2020, uma equipe do Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá (HG) realizou 1.633 partos normais e cesáreos e, desses, 12% foram prematuros. Já de janeiro a agosto de 2021, foram realizados 959 partos normais e cesáreos, sendo 11% deles de bebês prematuros.

Pensando nisso, o hospital alerta sobre o número de partos prematuros e como preveni-los, informando sobre as consequências do nascimento antecipado para o bebê. Uma delas é a questão da demanda de assistência constante, pois têm órgãos frágeis, peso baixo e ainda não estão completamente formados.

O grande susto

A dona de casa, Isabela Pereira, 26 anos, faz parte dessa estatística. A jovem deu à luz prematuramente em agosto de 2020, o pequeno Davi.

Isabela conta que sua gravidez estava normal e ao fazer um ultrassom foi diagnosticada a perda do líquido amniótico e infecção urinária. Devido a isso, o filho não estava recebendo os nutrientes e oxigênio necessários. Portanto, foi preciso fazer o parto prematuro.

Davi precisou ser internado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do HG (UTI Neo). Hoje o bebê segue o desenvolvimento padrão.

O pediatra Afrânio Batista ressalta que para cumprir sua missão na assistência à maternidade, o HG investe na gestão para manter atendimento seguro, de qualidade e humanizado também aos bebês que nascem prematuramente, na unidade hospitalar, que atende casos de gravidez de alto risco.

“Lembramos que o Hospital dispõe de atendimentos 24 horas por dia, atende todas as gestantes e é porta aberta para qualquer emergência obstétrica”, reforça.

Causas e consequências

O pediatra Afrânio, que é também coordenador da UTI Neo, explica que as causas da prematuridade podem estar relacionadas à hipertensão materna, ou seja, pressão alta ou ainda com algum tipo de lesão que a mãe venha a sofrer.

Já o bebê prematuro pode, após o nascimento, pode apresentar problemas respiratórios e também de nutrição.

O alerta do HG é feito neste mês em que ocorre a mobilização “Novembro Roxo”, em prol da sensibilização da população aos riscos e causas da prematuridade dos bebês. O Dia Mundial da Prematuridade é lembrado em 17 de novembro.

“Queremos chamar a atenção sobre a importância desse tema, refletindo sobre a qualidade do atendimento oferecido aos nossos prematuros e às suas famílias e também pedir que as mulheres que estão amamentando e tem excesso de leite materno para que doem para o nosso banco de leite”, diz o pediatra.

LEIA TAMBÉM

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSenadores pressionam ministro para redução de tarifas da energia elétrica
Próximo artigoHomem é preso por sequestrar e estuprar criança de nove anos em Cuiabá