“Nós vamos proibir que as pessoas exerçam o direito de desmatar?”, questiona Mauro

Governador destaca que Código Brasileiro prevê autorização de desmatamento e que casos legais não podem ser criminalizados

Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles e governador Mauro Mendes (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) nessa semana apontam que Mato Grosso foi o segundo Estado que registrou os mais altos índices de desmatamento na Amazônia Legal.

Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (21), o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), minimizou as informações divulgadas. É que, segundo ele, os números não discriminam os casos ilegais e irregulares dos que são autorizados.

De agosto de 2018 a julho de 2019, Mato Grosso contribuiu com 17,26% do desmatamento na Amazônia Legal, segundo o Inpe. Conforme o Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), a área total desmatada no Estado é de 1.685 km².

“Ele fala em desmatamento. Mas e se estiver legal? E se tiver autorização? Nós vamos proibir que as pessoas exerçam o direito legal de desmatar?”, questionou Mauro.

A declaração do governador foi feita na presença do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que sobrevoou Cuiabá e Chapada dos Guimarães antes de cumprir agenda no Palácio Paiaguás.

Mauro Mendes destacou que o Código Florestal Brasileiro autoriza o proprietário rural a desmatar 20% das terras, se ficarem na Amazônia Legal. Se a área é no Cerrado, a taxa é de 65%, de acordo com Mauro.

Apesar da previsão legal, o ministro Ricardo Salles ainda afirmou na entrevista que o Código Brasileiro é o mais restritivo do planeta.

O governador alega que é necessário mais transparência nos dados, e por isso, o Estado e o governo federal trabalham para abrir as informações. O objetivo é, portanto, mostrar as taxas de desmatamento ilegal, irregular e o que foi autorizado.

Desmatamento ilegal zero

Mesmo defendendo a previsão de desmatamento em uma área determinada, conforme dita a legislação, Mauro Mendes garantiu que não vai tolerar os casos ilegais.

“Nós aqui de Mato Grosso já fizemos uma profecia da nossa intenção: seremos intolerantes com o desmatamento ilegal. Nós queremos, nos próximos anos, construir aqui uma plataforma onde nosso objetivo é ter 100% desmatamento ilegal zero. Ou seja, zero desmatamento ilegal”, afirmou.

De acordo com o governador, uma série de medidas já estão sendo adotadas para intensificar o monitoramento das áreas do estado e garantir que haja punição para os casos identificados.

Mauro citou o sistema Planet, desenvolvido na Secretaria de Meio Ambiente. Ele detecta, por exemplo, focos de incêndio e desmatamento em tempo real. A ferramenta também permite detectar a origem dos crimes e, assim, responsabilizar os autores.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJovem adota felino selvagem pensando que era um gato doméstico
Próximo artigoGugu Liberato tem morte cerebral aos 60 anos; hospital soltará boletim nesta 6ª

O LIVRE ADS