No sábado, ativistas das causas LGBTI+ celebram a diversidade em ato político e cultural

A concentração será na Praça Ipiranga, a partir das 14h. Ativistas seguem para a Orla do Porto

(Foto: Pedro Ivo) - Presidente do Mães pela Diversidade, Josi Marconi

Faça chuva ou faça sol, as cores do arco-íris – ícone do movimento LGBTI+(*) – vão irradiar em Cuiabá no sábado (22), deixando um rastro de alegria e irreverência em ruas cuiabanas. Ativistas saem da Praça Ipiranga, onde se concentram desde às 14 horas, em direção à Orla do Porto. Ao lado das réplicas dos casarões coloridos, haverá um palco montado para shows com artistas locais.

A 16ª edição da Parada da Diversidade será marcada também por um ato político em favor das causas mais urgentes da população LGBTI+ mato-grossense. Presidente Livre Mente, ong que idealizou a parada, Clóvis Arantes diz que a celebração não é só um evento festivo, mas um momento para dar visibilidade às bandeiras do movimento, especialmente, em um momento político decisivo, que antecede as eleições.

Registro da Parada da Diversidade 2017. O Livre esteve acompanhou o trajeto rumo à Orla do Porto (Foto de Viviane Brito)

“A população, independentemente de ser LGBTI+ ou não, aguarda por este momento. Uma festa para fortalecer nosso posicionamento em favor dos direitos humanos e contra a ‘LGBTfobia’”. Segundo ele, comitivas chegam de todos os cantos de Mato Grosso e hotéis e restaurantes da cidade ficam movimentados, o cotidiano da cidade se agita com o evento. Os organizadores esperam ultrapassar o público de 15 mil pessoas que prestigiou a parada no ano passado.

“Este é o momento de as pessoas demonstrarem apoio, orgulho, de se vestir como se vestem no dia-a-dia ou de botar a fantasia. Para somar a este ambiente de alegria e irreverência, a festa terá 33 atrações. Tem para todos os perfis, é um evento plural. Tem rock, pop, forró, samba, artes visuais. Muitos artistas colaboram com a gente”. O bloco Divas Cuiabanas e Bateria dos Melados também confirmou presença.

Força nas urnas

Consciente de sua força nas urnas, a população LGBTI+ cobra também engajamento público de lideranças políticas. “No palco teremos também um ato político. Mas só terá espaço o candidato que assinar um compromisso público com as pautas do movimento.

Clóvis destaca que dentre as pautas mais urgentes, em primeiro lugar está a batalha contra a violência sofrida por pessoas da comunidade LGBTI+, muitas vezes, por conta do preconceito.

“É preciso que haja comprometimento pela criminalização da homofobia. Também buscamos a implantação do Conselho Estadual LGBTI+. Precisamos de um espaço como este, para formulação de políticas públicas como são os outros conselhos”. Outra demanda dos ativistas é a implantação de um ambulatório de saúde para acompanhar pessoas que desejam se lançar no processo de transição de sexo. “O ambulatório com acompanhamento médico e equipe multidisciplinar”, explica. Além disso, a implementação efetiva do uso do nome social, que já foi definido juridicamente, porém, segundo ele, ainda não se concretiza.

(*) Terminologia mais atualizada sobre a população lésbica, gay, bissexual, gay, travesti, transexual e intersexual

Eventos paralelos

21 de setembro – Clandestina LGBT

Diversos eventos ocorrem em preparação ou pós-parada. No dia 21 de setembro, a Clandestina LGBT faz o esquenta na Espaço Casa Rio. A festa começa às 22h30. Line up movido a pop e funk devem agitar a noite. A entrada é R$ 5,00 até às 23h e até às 0h, R$ 10,00. Depois deste horário, o valor do ingresso está sujeito a alterações.

O Espaço Casa Rio fica na avenida Beira Rio, há 800 m do Trevo da Barão de Melgaço com Miguel Sutil.

22 de setembro – Bate-papo e oficina de cartazes

Antes da Parada, às 9h, um grupo inicia as atividades em preparação ao evento. O coreto da Praça Ipiranga – local de concentração da Parada – reúne ativistas. “Convidamos todos e todas para a oficina de cartazes. É um momento de diálogo e debate sobre as LGBT trabalhadoras e quais são as pautas e a estratégia de luta frente aos retrocessos na atual situação do país”, diz chamada do evento no Facebook.

22 de setembro – Baile das Pocs

Estendendo a celebração, o Mosteiro Bar, na rua Cândido Mariano – ao lado do Liceu Cuiabano – vai sediar o Baile das Pocs. Vai ter shows, DJs e noitada regada a pop, axé, forró, reggae, eletrônico, reggaetton. Dois mil cupons com desconto serão distribuídos durante a parada. Quem apresentar na entrada, paga apenas R$ 10. O Mosteiro vai abrir a partir das 21h.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSessão Diversidade na UFMT debate ativismo contra AIDS com filme premiado em Cannes
Próximo artigo“Casa bagunçada”

O LIVRE ADS