Mendes: “Ninguém aguenta viver em um Estado em que a ameaça é arma política”

Laíse Lucatelli e Guilherme Waltenberg

Em tom de campanha eleitoral, o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM) fez um discurso pesado durante ato que marcou a sua filiação ao DEM. Recheado de críticas indiretas ao atual mandatário de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), Mendes afirmou que não é possível viver em um Estado onde a “ameaça” é “arma política”.

“A arma política é o diálogo, não pode ser a ameaça. Cabe a nós construir alternativas”, afirmou.

Mesmo sem citar nomes, o discurso foi endereçado ao atual governador, que é muito criticado pela suposta falta de diálogo com a classe política.

“Todos os partidos têm direito a ter candidatos e colocar as pessoas que eles têm disponíveis para representar as ideias, dialogar”, disse.

Com isso, Mendes ensaia uma postura distinta do seu eventual concorrente nessas eleições. Ao se colocar como representante do diálogo, ele tenta atrair a classe política a um eventual pleito nas eleições de 2018.

Por outro lado, Mendes também ensaiou o discurso do “novo”, apresentando-se como defensor do “novo”. Com isso, ele pode atrair os descontentes com a política.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCom Taques ausente, Nilson defende que DEM tem “direito” a lançar candidato
Próximo artigoSUS vai adotar remédio para tuberculose que substitui três comprimidos por um

O LIVRE ADS