Neurillan confirma reunião entre Fávaro e Fagundes e convite para compor chapa da oposição

Fraga disse ainda que, mesmo com o convite, Fávaro deverá levar a proposta para ser decidida dentro do partido

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga (PSD), confirmou neste sábado o convite feito pelo senador e pré-candidato ao Governo, Welllington Fagundes (PR), para que o Partido Social Democrático (PSD) componha o grupo de oposição ao atual Governo.

De acordo com Fraga, que esteve presente na reunião realizada na noite de quinta-feira (26), juntamente com o ex-vice-governador Carlos Fávaro, Welllington Fagundes aproveitou a oportunidade para oferecer ao PSD uma das vagas de candidatura ao Senado pelo grupo. “O presidente do nosso partido, Carlos Fávaro, foi convidado a compor a chapa para majoritária com este grupo, uma vez que o PSD já definiu uma posição contrária ao Governo atual. Não foi imposição nossa e, sim, um convite do PR”, afirmou.

Fraga disse ainda que, mesmo com o convite, Fávaro deverá levar a proposta para ser decidida dentro do partido. “Os membros do PSD deram autonomia ao Fávaro em uma reunião realizada em março, para que dialogasse com todos os partidos e construísse a melhor proposta para o partido, além de um novo e grande projeto para Mato Grosso. Ele está fazendo exatamente isso”, explicou.

As conversas entre as siglas iniciaram ainda no início do ano, quando o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, deu respaldo a Carlos Fávaro para desenvolver candidaturas próprias para as majoritárias em Mato Grosso. “Vários partidos procuraram o ministro, inclusive o PSDB, PP, PR e outros, e ele sempre respaldou as decisões do Fávaro. Com certeza não será uma ordem de cima para baixo. Teremos independência nas decisões e com apoio do Kassab”, destacou.

O presidente da AMM explicou também que o PSD é um partido “orgânico e muito organizado”, tendo lideranças no estado inteiro e isso atrai os demais partidos a compor com a sigla. “A postura do Fávaro em buscar o diálogo atrai todos os lados. Isso é muito bom para o partido tanto para as candidaturas majoritárias, quanto às proporcionais. Não haverá decisão isolada, sem consultar todos os membros e também não temos pressa para isso. Como sempre diz Fávaro, ‘acabou o caciquismo”, apontou.

“Não teremos problema de apoiar o senador Wellington ao governo, como não teremos dificuldade de apoiar qualquer outro nome que surgir deste grupo de oposição que está se formando. Estamos na fase de deliberações e não de decisões”, ponderou Fraga.

Neurilan confirmou ainda que as conversas continuam com outros partidos como DEM para a composição de uma chapa de oposição. “Vamos buscar o diálogo em torno da unidade da oposição. Estamos conversando com todos os partidos que nos convidam, discutindo projetos e propostas para um novo Governo”.

Além do PSD, outras siglas como PR, MDB, PP, PSD, PTB e PC do B já confirmaram que irão compor uma coligação que lançará nomes em oposição ao governador Pedro Taques (PSDB). “O convite do senador Wellington só demonstra o que sempre foi dito pelo presidente Carlos Fávaro, que ‘a eleição de 2018 passará pelo PSD’”, finalizou.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAvenida da FEB registra dois acidentes na madrugada de sábado
Próximo artigoVocê pagou essa mudança