Netnografia: A aliada das empresas nas redes sociais

Como o método da netnografia ajuda às empresas a se comunicarem melhor nas redes sociais

(Foto: Divulgação)

Inventada por Robert Kozinets para entender porque os amantes de Star Wars eram tão apaixonados pelos produtos relacionados à marca, a netnografia é baseada numa pesquisa super adaptativa que ajuda a entender como o cliente deseja ser tratado, que comunicação é mais adequada e como as empresas devem se relacionar na internet com eles.

Mais rápida, mais barata, e que se adapta melhor à velocidade das interações dos consumidores em ambiente digital, e principalmente nas redes sociais digitais, a Netnografia tem proveitos ainda maiores.

Além de utilizar métodos multicanais para estudar o comportamento do consumidor, a Netnografia é uma ferramenta que causa pouca fricção. Mas o que isso quer dizer? Que o pesquisador é um observador e causa pouca interrupção nas comunidades avaliadas, e isso estimula interações mais sinceras.

Segundo Kozinets, “a Netnografia é etnografia conectada pela tecnologia, ou pela internet. A netnografia é a etnografia adaptada às complexidades de nosso mundo social contemporâneo, mediado pela tecnologia”.

Benefícios:

Com interações mais naturais e a observação do comportamento, a Netnografia entende que a opinião e os sentimentos do consumidor importam. E isso ajuda a contextualizar empresas para a tomada de decisão, bem como ajudam as marcas a se posicionarem de forma estratégica, já que o objetivo é entender para atender.

A geração de insights dessa pesquisa pode ainda medir a temperatura das organizações, engajar marcas e criar oportunidades de negócios. Um exemplo disso é o desodorante Invisible Dry da Nivea: foi prestando atenção aos desejos dos consumidores nas redes sociais que fizeram um produto que atendesse à demanda, e sem concorrentes por um bom tempo.

Outro benefício matador da Netnografia é a possibilidade de cocriação. O público se sente prestigiado quando ajuda a criar algo que, de novo, atenda aos desejos de consumo.

Porque apostar na Netnografia?

Enquanto empresas são levadas por estratégias de marketing ruins, que ficam empurrando produtos goela abaixo e estimulando aquela compra por arrependimento, a Netnografia é um aliado de quem quer oferecer de verdade.

O consumidor contemporâneo é empoderado pela informação e quer conhecer, namorar e casar com a sua marca, produto ou serviço, antes que sejam levados para casa.

A relação de compra e venda nunca foi tão baseada em relacionamento como nos dias atuais. Lembre-se: agora, esse conhecer, namorar, noivar e casar com o consumidor não é só na velocidade que conquista.

Quando empresas melhoram o sabor de seus produtos, adequam suas embalagens, adaptam processos e ainda melhoram a cultura organizacional da empresa e do ambiente de trabalho, isso favorece o consumidor e gera lucro. É aí que a Netnografia é aliada para segmentar o mercado.

Ela gera excelentes insights estratégicos, fornece ideias para a inovação e baliza o desenvolvimento de abordagens para o gerenciamento de marcas.

Entender o consumidor de acordo com seu comportamento é fundamental para acertar quando se cria um novo produto, os gatilhos de motivação de compra, e ainda o que faz o público se conectar ao propósito da empresa.

Saber porque, quando e onde as pessoas desejam consumir seu produto ou serviço e todo o processo de tomada de decisão, pode estar embutido nos seus gostos, desejos e até na escassez.

Se pensarmos que somente calçando o sapato do outro seremos capazes de enxergar suas dores, ter um método que enxergue suas dores e ajude as empresas a buscar soluções para uma sociedade melhor e conectada ao que importa, teremos espaços físicos e digitais mais democráticos, justos e inclusivos. A força da Netnografia aliada às empresas está justamente em entender para atender.

Maria Augusta Ribeiro é especialista em comportamento digital e Netnografia no Belicosa.com.br

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOs pastores neopentecostais e o reconhecimento de vínculo com as igrejas
Próximo artigoIguá aposta em rede social corporativa para engajar colaboradores