Nem o secretário sabia

Titular da Sedec só teria sido informado sobre projeto ao ser convidado para audiência pública

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Não bastasse a reação de diversos setores da economia ao projeto de lei de readequação dos incentivos fiscais em Mato Grosso, os secretários de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, e de Desenvolvimento Econômico (Sedec), César Miranda, se viram em meio à afirmações de que um estaria passando por cima do outro.

O prejudicado seria César Miranda, que só teria ficado sabendo da existência do projeto do governo quando o texto chegou à Assembleia Legislativa.

O secretário – cuja Pasta sempre foi responsável pelo controle dos incentivos fiscais em Mato Grosso – teria sido informado pela assessoria do próprio Parlamento, ao ser convidado para debater a proposta em audiência pública.

César Miranda nega. Por meio da assessoria de imprensa, disse que toda a parte do projeto que versa sobre os incentivos programáticos – como o Prodeic, por exemplo – foi desenvolvida pela Sefaz em conjunto com o setor técnico da Sedec.

Ainda assim, há quem diga que César Miranda estaria apenas sendo diplomático. Uma dessas vozes é a do deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que tem se colocado como um dos principais críticos da proposta do governo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPastor que desviou R$ 408,8 mil de empresa para igreja é condenado
Próximo artigoFurto no escritório

O LIVRE ADS