“Não iria servir pra nada”, diz Mauro Mendes sobre obra da ZPE de Cáceres

Licitação da fase 1 feita pelo ex-governador de MT, Pedro Taques, não contemplava espaço para empresas

Governador de MT, Mauro Mendes, durante vistoria das obras da ZPE de Cáceres (Foto: Mayke Toscano/ Secom-MT)

O governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM) anunciou nesta terça-feira (1º) que vai licitar mais duas fases de construção da Zona de Processamento de Exportação de Cáceres (ZPE).

Após vistoriar as obras, Mauro ficou irritado ao saber que a primeira fase não contemplou a principal função da ZPE.

“Quando licitaram as obras em 2016, estavam fazendo ‘enrolation’ [sic], porque licitaram o prédio da Receita [Federal], prédio administrativo, parte da frente, restaurante, estacionamento. Mas e o local para as empresas? Não tinham feito o projeto, ou seja, não iria servir para nada, simples assim”.

Deputado Federal Neri Geller (PP), Secretário da Sinfra, Marcelo de Oliveira e o governador Mauro Mendes (DEM) durante vistoria nas obras da ZPE de Cáceres (Foto: Mayke Toscano/ Secom-MT)

Ao custo de R$ 15,4 milhões, a obra está 15% concluída, que segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, significa que as fundações dos blocos dos prédios estão concluídos.

Em andamento estão os serviços de terraplanagem e alvenaria, que segundo o titular da Sinfra estão dentro do cronograma previsto.

A ZPE já é um projeto de 30 anos e o principal objetivo é atrair indústrias com potencial competitivo para ampliar o mercado exportador do Estado.

Porto Fluvial de Cáceres

Aliada à ZPE, outro projeto importante da região é o Porto Fluvial de Cáceres, que já está 100% reformado e pronto para voltar a operar depois de 10 anos parado. Após receber investimento de R$ 1,5 milhão, proveniente de uma cooperação entre a Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat) e a Associação Pró-Hidrovia do Rio Paraguai (APH), a retomada deve acontecer ainda este ano.

Porto Fluvial de Cáceres (Foto: Mayke Toscano/Secom-MT)

O porto deve escoar produtos do agronegócio por meio da hidrovia Paraguai-Paraná. Em contrapartida, as embarcações também podem trazer insumos agrícolas de países vizinhos.

“No ano passado construímos a solução junto com a Associação dos produtores da região. Ele está todo reformado, e pronto para operar. A licença ambiental já foi concedida. É uma obra muito esperada, que soma com a ZPE, que é outra importante iniciativa que está há décadas aguardando, e agora, nós retomamos”, pontua o governador.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSUS em Mato Grosso realizou cinco abortos no primeiro semestre
Próximo artigoTJ manda Emanuel Pinheiro reintegrar funcionários do vice-prefeito Niuan Ribeiro