Não há mais pontos de concentração de caminhoneiros em rodovias, anuncia PRF

Superintendente da PRF em Mato Grosso diz que último ponto de concentração registrado foi em Matupá

O superintendente da PRF em Mato Grosso, Aristóteles Cadidé, acaba de divulgar a liberação total das rodovias federais no Estado. Segundo ele, o último ponto foi desobstruído em Matupá, norte do Estado. “Não há nenhum ponto em rodovia federal com manifestação, desde às 2h desta quinta-feira (31)”, declarou.

No site da Agência Brasil, o governo também fez o mesmo anúncio, momentos antes. “Atualização divulgada às 11h (horário local) pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública diz que não há mais pontos de concentração de caminhoneiros em rodovias federais. As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que monitora a situação das estradas no país e os pontos de bloqueio e manifestações de caminhoneiros”, diz trecho da matéria.

Segundo a corporação, não há mais aglomeração de pessoas ou veículos perto de rodovias federais ou “qualquer anormalidade no fluxo de veículos”. Não há, contudo, acompanhamento de possíveis protestos em estradas estaduais.

“Com apoio das Forças do Exército e PM em alguns pontos, garantimos a circulação e evolução nas primeiras horas”, disse Cadidé.

No último balanço da situação das rodovias federais, divulgado às 10h (horário local), ainda existiam nove pontos de concentração. Destes, seis eram em Santa Catarina, dois no Rio Grande do Sul e um no Ceará.

Na atualização divulgada no início da manhã de hoje (31), o Ministério da Defesa ainda contabilizava 65 pontos de concentração de caminhoneiros.

O acordo com entidades representativas dos caminhoneiros foi fechado no último domingo (27). Mas, ainda assim, caminhoneiros mantiveram protestos em diversos locais do país. Líderes de entidades, como a Associação Brasileira dos Caminhoneiros, e apurações feitas pelo governo apontaram a presença de infiltrados no movimento.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMPF vai investigar líderes grevistas por “tentar mudar regime” do país
Próximo artigoPreso em abril, maior estelionatário do país é solto por Fidélis