Nadal e Djokovic podem superar importantes recordes de Federer em 2021

Djokovic pode superar o maior número de semanas no topo do ranking da ATP e Nadal a soma de títulos de Grand Slams.

A temporada de tênis de 2021 promete muito mais movimentação do que a de 2020. Com o calendário encurtado e o cancelamento de torneios por causa do coronavírus, a ATP precisou congelar o ranking por 5 meses no ano passado e com isso quase nenhum recorde foi alterado. Neste ano, mesmo que a programação do primeiro semestre ainda esteja afetada pela pandemia, a temporada estará repleta de torneios de peso. Com isso aparece a oportunidade de alcance de importantes marcas para grandes tenistas. Para outros, a ameaça de ter recordes superados.

Um dos mais afetados é Roger Federer, que não joga há um ano, desde a derrota para Djokovic na semifinal do Aberto da Austrália em fevereiro de 2020 e não voltará a jogar tão cedo. Por conta das duas cirurgias que fez no joelho direito, perderá grande parte da temporada no primeiro semestre de 2021 e não participará do primeiro Grand Slam do ano, o Aberto da Austrália. Com essa ausência, o suiço corre o risco de perder a condição de tenista com mais Grand Slams na carreira. No ano passado, Nadal já igualou a marca de Federer, com 20 Grand Slams conquistados, após vencer o Roland Garros.

Outro grande recorde de Federer que está prestes a ser quebrado é a marca de maior número de semanas no topo do ranking da ATP. Caso Novak Djokovic permaneça na primeira posição até o dia 8 de março, o sérvio irá completar 311 semanas como número 1 do mundo, superando as 310 do rival suiço.

Djokovic, Nadal e Federer também disputam o pioneirismo em uma marca: ser o primeiro atleta a conquistar pelo menos dois títulos em cada Slam. Para o suiço e o sérvio, falta vencer um Roland Garros. Para o espanhol, falta um troféu do Aberto da Austrália. Quando o assunto é o número total de participação em finais de Grand Slams, os três grandes também estão em disputa acirrada. O recorde ainda é de Roger Federer, com 31 finais, mas Djokovic com 27 e Nadal com 28 estão chegando perto.

Os 4 Grand Slams do ano já estão com datas confirmadas. O Aberto da Austrália acontecerá entre 8 e 21 de fevereiro, Roland Garros de 23 de maio a 6 de junho, Wimbledon de 28 de junho a 11 de julho e o US Open de 30 de agosto a 12 de setembro. Agora resta esperar e acompanhar para ver quais destes recordes serão alcançados nos torneios.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOperação Asafe
Próximo artigoCachorro é abandonado por família após dono morrer de covid-19 em Cuiabá