Nada novo sob o sol: VLT de Cuiabá segue abandonado à espera de uma decisão política

Ainda que saibam que nada podem fazer, vereadores convocaram imprensa para trazer Centro de Operações à luz

Ednilson Aguiar/ O Livre

Eles custaram mais de R$ 500 milhões. As obras iniciadas para sua implantação foram interrompidas e o sonho de modernidade deu lugar ao abandono e à descrença. A cicatriz do Veículo Leve Sobre Trilhos, que corta as cidades de Cuiabá e Várzea Grande, não deixam a população esquecer. Especialmente, de que os vagões, que transportariam passageiros, seguem em uma espera silenciosa.

O cenário do Centro de Operações do VLT é suntuoso, digno de uma metrópole agitada, mas o clima que paira por lá é mesmo fúnebre, silencioso. Os vagões com tecnologia de ponta, estão limpos e conservados, mas a chance deles saírem dali tem se tornado quase nula.

Nesta manhã, o LIVRE integrou comitiva formada a convite dos vereadores de Cuiabá e Várzea Grande. Até mesmo os parlamentares sabem que a visita é pouco efetiva, já que eles não possuem o poder de decisão sobre o rumo das obras. Afinal, o ente responsável pela construção do VLT é o governo do Estado.

Ainda assim, os vereadores tentam chamar atenção pelo sentimento de completo descaso que é sentido ao visitar o local. O presidente da Câmara de Cuiabá, por exemplo, vereador Misael Galvão (PSB), se disse emocionado em estar lá. Para ele, um modal que custou mais de R$ 1 bilhão aos cofres do governo não poderia estar abandonado, já que uma verdadeira transformação foi vendida pelo governo à época da construção do modal.

Manter o VLT ainda que parado tem custo: em 2017 foi estimado em ação na Justiça Federal de Cuiabá que seriam necessários R$ 20 milhões ao mês para manter o bem público com segurança e garantindo as devidas condições de funcionamento.

Por falar em custos, o que não faltam são números das obras da Copa, nos últimos cinco anos, por exemplo, o governo já desembolsou mais de R$ 1 bilhão para pagar os empréstimos feitos que garantiram a construção da Arena Pantanal [também não concluída] e do VLT, segundo dados públicos do Portal Transparência do Estado.

Qual o futuro da obra?

Durante a campanha eleitoral de 2018, o governador Mauro Mendes (DEM) disse que em um ano daria a solução definitiva sobre o VLT. O governador se adiantou na decisão e nas próximas semanas deve apresentar o que será feito com o modal que prometia revolucionar o transporte público em Cuiabá, mas que só funcionou em sua fase de teste, sem sequer sair de frente do aeroporto.

Em ritmo de Copa

A comitiva da Câmara de Cuiabá seguiu em ritmo de Copa do Mundo visitando os canteiros do modal. Dois ônibus acompanharam a comitiva com vereadores, assessores e a imprensa local. Para chegar com eficiência aos locais vistoriados uma equipe da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) acompanhou o trajeto e explicou os transtornos que as obras ainda inacabadas causam ao trânsito local.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA irrelevância imposta pelo MEC
Próximo artigoPrefeito assina decreto que garante 100% de esgoto tratado até 2024 em Cuiabá