Na quarentena: MT tem aumento de 400% nos casos de feminicídio

Imagem ilustrativa (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A quarentena é a medida mais segura e eficaz para conter o avanço do coronavírus. Para mulheres, entretanto, o lar tem não tem sido um lugar seguro. É o que aponta um levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O levantamento foi feito em seis estados, sendo eles: São Paulo, Acre, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Pará.

A coleta de dados foi feita ao longo da segunda semana de abril. Foram solicitados registros de violência contra mulher entre março e abril de 2020.

Em Mato Grosso, segundo o estudo, os casos de feminicídio no período de isolamento cresceram 400%, em relação ao mesmo período do ano passado.

LEIA TAMBÉM

De acordo com o Fórum , foram registrados dois casos em março de 2019 e 10 casos em março de 2020. O aumento percentual foi o maior entre os estados consultados.

Em casa, as mulheres estão sendo obrigadas a permanecer mais tempo ao lado do agressor. Uma das consequências diretas, além do aumento dos casos de violência, tem sido a diminuição das denúncias.

“Em função do isolamento muitas mulheres não têm conseguido sair de casa para fazê-la ou têm medo de realizá-la pela aproximação do parceiro”, aponta o estudo.

Denúncias via 180

Com exceção de Mato Grosso e do Rio Grande do Sul, todos os estados analisados tiveram redução no número de denúncias via Ligue 180. Lá a diferença foi de apenas uma denúncia a mais em março de 2020, enquanto em Mato Grosso estado as denúncias aumentaram em 9,5%.

No Brasil, o número total de denúncias caiu de 8.440 em março de 2019 para 7.714 em março de 2020 – uma redução de 8,6%.

Outros crimes

Os registros de boletim de ocorrência por ameaça diminuíram no estado. A queda identificada foi de 21,3% no período analisado.

No caso das lesões corporais dolosas decorrentes de violência doméstica, o estado também teve queda, passando de 953 em março de 2019 para 744 em março de 2020.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA hora da colheita
Próximo artigoMais de 140 mil famílias não vão pagar ICMS da energia em MT