Cuiabanos são selecionados para vivência em projeto internacional

Estela Ceregatti e Jhon Stuart participam de 12 dias de formação e apresentações em São Paulo, com outros 23 músicos de diferentes nacionalidades

A cantora e compositora Estela Ceregatti emplaca mais uma conquista representando Mato Grosso, desta vez ao lado do companheiro de música e vida, o multi-instrumentista Jhon Stuart. Os músicos cuiabanos foram selecionados para participar do Ethno Brazil, a primeira edição brasileira de um projeto internacional que promove 12 dias de vivências com outros 23 músicos de diferentes regionalidades e nacionalidades, em São Paulo.

Esse processo de imersão resulta, ainda, em apresentações públicas e gratuitas pelo Estado, durante os últimos dias de atividades.

“Estamos muito felizes, porque é a primeira vez que o projeto acontece no Brasil e passou por uma curadoria tanto brasileira quanto externa. Fomos selecionados para participar representando o Mato Grosso e até o país, porque muita gente vem de fora também para que a gente faça justamente esse intercambio”, contou Estela ao LIVRE.

No dia 17 de junho, eles desembarcam na Fazenda da Serrinha, na cidade de Bragança Paulista (SP), para se encontrar com jovens músicos de 18 a 30 anos, onde participam de uma série de atividades de formação e trocas de projetos desenvolvidos em suas localidades.

“Cada músico estará lá para mostrar um pouco do seu trabalho e de suas pesquisas. Não sabemos exatamente como será conduzido, mas vamos ficar em imersão nessa fazenda, construindo um repertório”, explica.

Essa fusão e eleição de projetos irá chegar a quatro municípios paulistas; São José dos Campos (22/06), Bragança Paulista (24/06), Taubaté (25/06) e na capital, em show realizado no vão livre do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), no dia 26 de junho.

Estela Ceregatti acredita que o processo de seleção dos inscritos envolveu o desenvolvimento de projetos que contemplam a linha de pesquisa e criação musical proposta pelo projeto.

“A gente tem um trabalho de pesquisa que dialoga com a proposta do encontro. Música étnica, do mundo e música regional de Mato Grosso. No momento da inscrição eles pedem nosso currículo, o tipo de trabalho que a gente se desempenha”, explica Estela, que, inclusive, ganhou publicação no site do projeto como a primeira mato-grossense vencedora do Prêmio Profissionais da Música 2018 – Music Pro Award, na categoria Artista Raiz Regional.

“Sou de um eixo cultural incrível, de onde transborda muita arte com influências diversas, da cultura indígena local, da influência das músicas paraguaia, africana e portuguesa”, escreveu em sua ficha de inscrição. Segundo o site Ethno Brazil, a cantora acredita que o festival possibilitará uma fusão da música mato-grossense com outras regiões do País e do mundo.

Compositor, pianista e contrabaixista, Jhon Stuart Alves Ferreira, por sua vez, já dividiu palco com Gabriel Levy e Flávio Venturini, entre outros importante nomes da música brasileira. Professor do Instituto Ciranda, já participou de uma série de festivais e atuou nos grupos Urutau e Monofiliar, com Estela, na Orquestra Jovem do Estado do Mato Grosso e no Grupo de Percussão do Departamento de Artes da Universidade Federal de Mato Grosso.

Estela e Jhon também desenvolvem projetos em Arte Educação. Foto: Júlia Mux

Ethno Brazil

Criado em 1990, o Ethno é um programa voltado para a divulgação de jovens músicos que atuam na música contemporânea e tradicional, realizado pela Jeunesses Musicales International (JMI), a maior organização sem fins lucrativos do mundo voltada ao desenvolvimento da música jovem.

No Brasil, o projeto é desenvolvido pela Associação Amigos do Projeto Guri, uma organização social de cultura presente em quase 300 municípios do Estado de São Paulo, com práticas coletivas de ensino, organização de espetáculos musicais, além de publicações de materiais didáticos e na produção de DVDs e CDs

Presente em mais de 13 países, o programa envolve jovens através de uma série de acampamentos internacionais de música internacional, além de workshops e concertos, trabalhando em conjunto com escolas, conservatórios e outros grupos de jovens para promover a paz, a cooperação e a compreensão.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPartidos terão mais 90 dias para fazer prestação de contas de 2017
Próximo artigoCom primos delatados, Pedro Taques diz que delação não é condenação