Muro da discórdia: PM é chamada em condomínio para separar vizinhos brigões

A polêmica construção de um muro tirou o sono dos moradores de um condomínio de Cuiabá

Dois vizinhos – um empresário de 36 anos e um administrador de 47 – foram parar na delegacia no início da madrugada desta quarta-feira (08) depois de uma briga motivada pela construção de um pedaço de muro. A briga foi tão feia que teve direito a muro quebrado a marretadas e um vizinho saindo de casa no susto e armado.

Conforme o boletim de ocorrência, os dois moram no condomínio Mônaco, no Bairro Parque das Nações, em Cuiabá, habitação coletiva, com casas geminadas.

Segundo o relato, o empresário resolveu fazer uma garagem coberta em sua casa e aproveitou para aumentar o muro que divide com o vizinho até o 1º pilar, assim como outros moradores do condomínio já haviam feito.

O vizinho administrador, no entanto, não aceitou a situação e, durante a manhã dessa terça-feira (07), fez uma reclamação formal no condomínio e impediu que os pedreiros contratados pelo empresário realizassem a obra. Avisando, inclusive, que se o muro fosse feito, ele iria derrubá-lo.

Porém, quando o administrador chegou em casa, por volta da meia-noite, os pedreiros haviam feito o muro, segundo ele, a mando do empresário. No boletim de ocorrência, ele afirmou que o muro vai “contra o regulamento de padronização do condomínio” e que “irá afetar a entra e saída de ar (ventilação) de sua casa”.

Como havia prometido, o administrador pegou uma marreta e começou a golpear o muro, derrubando-o. Segundo ele, ao ouvir o barulho o vizinho empresário saiu de casa armado com uma pistola e fazendo ameaças. Por isso, ele chamou a polícia.

Já o empresário afirmou, segundo o boletim de ocorrência, que o prolongamento do muro que está fazendo está dentro de um projeto feito por arquiteto, segue as normas do condomínio e que ele escolheu fazer somente até o 1º pilar, mesmo tendo outros moradores do conjunto habitacional que fizeram até o segundo e não tiveram problemas.

Ele confirmou que continuou a obra sem a autorização do vizinho, afirmando que o pedreiro já estava na metade do serviço. Ainda conforme o boletim de ocorrência, hoje, por volta de 0h50, ele afirmou que toda sua família foi acordada por estrondos vindos da porta da frente e, então, ele se levantou rapidamente.

Como é atirador desportivo e tem registro de uma arma de fogo legalizada, ele pegou a arma e foi até a frente da casa, pensando que sua residência estava sendo invadida. Porém, quando saiu na porta da frente, encontrou o vizinho administrador cumprindo a promessa e derrubando seu murro recém-construído, com golpes de marreta.

Ele afirmou aos policiais, segundo o boletim de ocorrência, que mandou que o vizinho parasse com a atitude e os dois começaram a discutir, até que a Polícia Militar chegou ao local.

Como os dois não chegavam a nenhum acordo, ambos foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Cuiabá, onde o caso foi registrado como ameaça (por parte do empresário), dano (por parte do administrador) e exercício arbitrário das próprias razões (também pelo administrador).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorUFMT promove festival de artesanato e empreendedorismo durante três meses
Próximo artigoGovernadores se comprometem com a reforma da Previdência