Municípios de MT gastaram só 32% do recurso disponível para a pandemia

Os 141 municípios informaram ao TCE que tinham R$ 766 milhões em caixa para aplicar no enfrentamento à crise até o fim de agosto

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Municípios de Mato Grosso gastaram apenas 32% da receita disponível para o combate ao novo coronavírus e para a mitigação dos efeitos da pandemia em cinco meses.  

Valores compilados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) mostram que, até o fim de agosto, as 141 cidades tinham informado a quantia de R$ 766.399.444 disponíveis para a aplicação em serviços e assistências, mas liquidado somente R$ 252.504.205. 

O Tribunal calcula os recursos de fontes dos municípios e da União que são distribuídos nas categorias de combate ao contágio e de mitigação dos efeitos da crise. Contudo, a maioria vem do governo federal. 

Os gastos com saúde corresponderam a 50,3% do montante de recurso liquidado. Os serviços financiados vão desde a compra de medicamento a de máscara. 

O setor administrativo aparece logo abaixo, com uma fatia de 25,7%. Neste caso, não há especificação dos tipos de gastos. 

A outras seis frentes de trabalhos – assistência social, educação, agricultura, cultura, transporte, urbanismo, desporto e lazer – receberam entre 5% e 3% dos recursos. 

A lista de aquisições pelos municípios é gigante. Vai dos insumos mais óbvios, como álcool em gel, luva e teste rápido, a contratos com empresas para realizar triagem de pessoas em secretarias de saúde. 

Ranking dos municípios 

A Prefeitura de Cuiabá foi quem mais recebeu recurso para investimento em serviços da pandemia. Conforme o levantamento do TCE, somente para enfrentamento, a quantia havia superado R$ 70 milhões até o fim de agosto. 

Outros R$ 91 milhões foram liberados como auxílio para mitigar os efeitos da pandemia, como a suspensão temporária de impostos, queda na arrecadação e auxílio a grupos socioeconômicos de risco. 

Rondonópolis (220 km de Cuiabá) recebeu R$ 27,9 milhões no mesmo período para o enfrentamento e mais R$ 33,7 milhões para a mitigação. No caixa de Várzea Grande (região metropolitana) entraram R$ 17 milhões na primeira linha e R$ 59,2 milhões na segunda. 

São José do Povo (270 km de Cuiabá), por sua vez, não recebeu nenhum recurso para enfrentamento e Juruena (910 km da Capital) ficou zerado na linha de mitigação do impacto da paralisação econômica.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConcessionária faz obras na rede de água da Rua Comandante Costa e entorno neste sábado
Próximo artigoVídeo | Candidato a vereador do PSOL mostra plantação de maconha em campanha