Mulher vive noite de terror após quase ser esganada, esfaqueada e queimada viva

A tortura psicológica foi tamanha que, quando os policiais chegaram, ela mal conseguia falar

Imagem ilustrativa (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma mulher de 24 anos viveu um verdadeiro terror entre a noite desse sábado (18) e a madrugada deste domingo (19). Ela quase foi esganada, esfaqueada e queimada viva pelo companheiro, de 32 anos.

A violência aconteceu na residência do casal, localizada no centro da cidade de Pontes e Lacerda (450 km de Cuiabá).

A Polícia Militar foi acionada por vizinhos e, ao chegar no local, entrou no quintal e abriu um portão de madeira. Logo depois, os policiais viram uma fogueira e utensílios domésticos queimando.

Em seguida, os militares viram um homem e deram ordem para que ele colocasse as mãos na cabeça. Ele obedeceu e foi algemado.

Próxima a ele, foi encontrada uma mulher visivelmente abalada emocionalmente, chorando, trêmula, com a voz tão fraca que quase não saía.

Noite de terror

Já na delegacia, ela conseguiu contar o que havia acontecido. A princípio, o companheiro havia dado vários tapas no rosto dela, deixando lesões na face e no olho esquerdo.

Depois, ele a segurou pelo pescoço para estrangulá-la, mas soltou, deixando-a com marcas no pescoço. Em seguida, ele pegou um faca de serra e tentou furar a parte de trás do pescoço dela.

Por fim, ele jogou o sofá e um colchão da casa do lado de fora e colocou fogo. Quando as chamas estavam altas, ele pegou um frasco de álcool 96% e jogou no cabelo e na roupa da mulher, a agarrou e tentou arrastá-la para a fogueira.

Vendo que seria queimada viva, a mulher se agarrou na porta e, mesmo o suspeito tentando várias vezes, o instinto de sobrevivência a fez ter mais força que ele e conseguir se segurar no portal.

Por fim, o suspeito quebrou o celular dela. A casa foi encontrada com sinais de luta, com comida espalhada pelo chão, assim como roupas e forros de cama.

O homem ficou preso e o caso foi registrado como dano, lesão corporal e tentativa de homicídio doloso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSaiba como higienizar o carro e a moto para prevenção ao novo coronavírus
Próximo artigoPrefeitura divulga lista de sorteados do Nico Baracat que ainda não responderam chamamento