Mulher se recusa a abandonar marido que está em coma há 39 anos: “Ele ainda está vivo”

Uma bela história de amor

Há quase quarenta anos em coma, Jean-Pierre Adams ainda é acompanhado diariamente por sua esposa Bernadette Adams com quem é casado há 52 anos. Entretanto o casamento não é comum justamente por causa da situação que Adams se encontra.

Tudo aconteceu em 1982, no dia 17 de março, segundo reportagem a CNN. Adams foi submetido a uma cirurgia simples no joelho, mas algo deu errado. Uma dose letal de anestesia foi aplicada em seu organismo o condenando a um coma profundo do qual nunca mais despertou.

Depois de sete anos do ocorrido, o hospital foi condenado a pagar uma multa de pouco de R$ 4500, sem grandes consequências para a equipe médica. Porém, para Bernadette, sua vida nunca mais foi a mesma, afinal é ela quem cuida de Pierre.

Ele está em sua casa, na França, e mesmo em coma, sem acordar, falar ou se comunicar de alguma forma, ele consegue sentir, respirar e tossir automaticamente. Ela conta que muitas pessoas afirmam que ela deveria abandonar o marido e deixá-lo simplesmente morrer, sem carregar um fardo por toda a sua vida. Entretanto, ela afirma que não tem coragem de fazer.

Mesmo vegetativo, os médicos confirmaram que ele consegue ouvir o que acontece. Para Bernadette, portanto, ainda há interações significativas entre eles. Fora isso, o casal tem dois filhos, Laurent e Fréderic, que visitam o pai com frequência.

Os cuidadores que ajudam Bernadette contam que a ligação que o casal tem é surpreendente e que quando ela precisa se ausentar, ele muda completamente o seu humor.

Ela acredita que ele também reconhece o som de sua voz, por isso não gosta muito quando ela não está por perto. Ela afirmou que nunca vai desistir de seu marido.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMarco temporal de terras indígenas: instituto afirma que STF pode acabar com 1,5 milhão de empregos
Próximo artigoTCE percorre Chapada dos Guimarães e aponta omissão do poder público contra queimadas