Mulher que teve parte da orelha arrancada volta com companheiro e é agredida de novo

Dessa vez, porém, o homem foi preso; na primeira vez, a mulher se negou a dar informações sobre ele para a polícia

Imagem ilustrativa

Um homem de 28 anos foi preso na madrugada desta terça-feira (29) por agredir a companheira, de 33 anos, com mordidas. Essa, porém, não é a primeira vez que ele faz isso, visto que em novembro chegou a arrancar um pedaço da orelha esquerda dela.

O caso aconteceu em um condomínio do Bairro Jardim dos Ipês, em Cuiabá, por volta das 3h40 da madrugada.

A Polícia Militar foi acionada e, quando chegou ao local, encontrou o suspeito tentando fugir com uma mala de roupas.

A vítima, então, contou que no dia 18 de novembro tinha sido agredida e mutilada pelo suspeito, quando ele arrancou um pedaço da orelha esquerda dela.

Na época, porém, o suspeito fugiu e ela se recusou a dar informações sobre ele à polícia. Ela precisou passar por cirurgias por causa da lesão.

Assim que recuperada, no entanto, ela reatou o relacionamento com o suspeito e, nesta terça-feira (29), os dois voltaram a se desentender por ciúmes e ele a agrediu novamente com mordidas.

Dessa vez ele a deixou com lesões nos ombros, na boca e no pescoço. Com medo, ela pegou uma faca para se defender. Mas, ainda assim, ele foi para cima dela.

A mulher, então, golpeou o companheiro, acertando superficialmente o braço dele, o que foi suficiente para ele parar de agredi-la.

Depois disso, ele tentou fugir, momento que a Polícia Militar chegou e o prendeu. Ele foi encaminhado para a Policlínica do Planalto e, depois que recebeu alta, foi encaminhado para o Plantão da Delegacia de Defesa da Mulher.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVereadores de Cuiabá aprovam aumento salarial e verba para chefe de gabinete
Próximo artigoGoverno Bolsonaro prorroga isenção de impostos para remédios contra a covid