Mulher que matou amiga com facada no coração é colocada em liberdade

Crime aconteceu em fevereiro, motivado por fofocas; Aldirene não vai usar tornozeleira eletrônica

Fernanda (de branco), a vítima, e Aldirene (de vinho), a acusada (Foto do Instagram de Fernanda)

Aldirene da Silva Santana, de 26 anos, acusada de matar sua amiga Fernanda Souza Silva, de 22, com uma facada no coração, conseguiu autorização da Justiça para deixar a cadeia. A decisão, do dia 2 de maio, é do juiz Wagner Plaza Machado Junior, da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis (212 km de Cuiabá).

Conforme a ação, Aldirene estava presa de forma preventiva desde o dia 26 de fevereiro, após ter confessado ser autora do homicídio, que aconteceu dentro de sua própria casa. O crime teria sido motivado por uma fofoca.

No dia 11 de março, o juiz negou um pedido de liberdade protocolado pela defesa da jovem. No dia 20 do mesmo mês, aceitou denúncia feita pelo promotor de Justiça Jorge Paulo Damante Pereira, da 6ª Promotoria Criminal do município, e tornou Aldirene ré pela morte da amiga.

Dessa vez, ao conceder o habeas corpus, o juiz determinou medidas cautelares consideradas “menos onerosas”. Dessa forma, a ela ficou determinado o comparecimento em todos os atos do processo, além de justificação mensal à Justiça sobre suas atividades. Ela também ficou proibida de mudar de casa sem autorização.

[featured_paragraph]Conforme o promotor, Aldirene teria ficado com ciúmes ao descobrir que Fernanda já teria se relacionado com seu ex-namorado e espalhou uma fofoca sobre a amiga para o homem com quem Fernanda se relacionava.[/featured_paragraph]

Indignada e sem entender os atos de Aldirene, Fernanda foi até a casa da acusada tirar satisfações. “Em seguida, após uma breve discussão havida entre vítima e denunciada, Aldirene tomou posse de uma faca e a cravou no peito de Fernanda, que morreu devido às lesões no pulmão e coração”, diz trecho da denúncia.

A primeira audiência sobre o caso está prevista para acontecer nessa terça-feira (7).

O caso

O LIVRE esteve em Rondonópolis (212 km de Cuiabá) após o crime e, após contato com testemunhas e advogados, detalhou em uma reportagem especial como tudo aconteceu.

Segundo a amiga da vítima, Janaína, que acompanhou Fernanda até a casa da amiga Aldirene, a atitude foi tomada depois que a vítima passou dias sem conseguir comer e dormir direito, já que pensava apenas na amizade que estava se acabando.

Não teve conversa para Aldirene, porém. Janaína contou à polícia que desde que ela e a amiga chegaram na casa da jovem, foram recebidas com truculência. Segundo a testemunha, a acusada segurava uma faca desde o primeiro instante e foi com o mesmo instrumento que assassinou Fernanda, atingindo-a no coração.

O relato completo sobre o caso pode ser conferido aqui.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno desativa cadeia de Aripuanã e transfere presos para Juína e Colniza
Próximo artigoBolsonaro confirma aumento de validade da carteira de motorista

O LIVRE ADS