Mulher que foi agredida com “tijolada” e sofreu traumatismo craniano morre no Pronto Socorro

O marido da vítima chegou a ser ouvido mas nunca foi preso pela agressão

Foto:(Ednilson Aguiar/ O Livre)

Quarenta dias após dar entrada no Pronto Socorro de Cuiabá, morreu na noite desse domingo (25) uma mulher que foi vítima de violência doméstica no município de Tangará da Serra (245 km de Cuiabá). Identificada como Janice Oliveira dos Santos Almeida, de 30 anos, ela foi agredida com golpes de tijolo pelo próprio marido.

Segundo a Polícia Militar, a morte da vítima foi confirmada por volta das 23h. Ela havia sido transferida de um hospital de Tangará da Serra para Cuiabá no dia 14 de outubro, por ter sofrido traumatismo craniano. Não há informações sobre o velório e sepultamento da mulher.

A agressão

Conforme o boletim de ocorrência, o crime aconteceu no dia 12 de outubro, quando ela estava em uma kitnet do bairro Alto da Boa Vista. A polícia narrou que, naquela manhã, encontrou a mulher pedindo socorro no pátio do conjunto habitacional, com uma lesão no rosto.

Devido aos ferimentos, os militares levaram a vítima para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município. Segundo informações, a mulher teria sido agredida com tijolo.

De acordo com o prontuário médico, ela apresentava trauma no crânio encefálico gravíssimo, múltiplas fratura no crânio frontal e sangramento pelo ouvido e corria risco de morte.

A polícia também registrou que Janice apresentava sangramento pelo ouvido e que os médicos já tinham apontado a possibilidade da morte da vítima. Ela foi transferida para Cuiabá dois dias depois.

Após deixar a vítima na unidade médica, a polícia fez rondas em busca do marido de Janice, que teria sido apontado por testemunhas como o autor das agressões.

O homem chegou a ser ouvido pela Polícia Civil, mas não teve pedido de prisão porque, segundo a delegacia, faltavam provas contra o acusado. Ele, porém, seguia sendo investigado. Agora ele poderá responder pelo crime de feminicídio.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArábia Saudita vai importar do Brasil material genético bovino e avícola
Próximo artigoPortaria regulamenta fiscalização agropecuária com cães e cria centro de treinamento