Mulher entra em estado de choque após vizinha tentar matá-la

O marido da suspeita havia sido preso um dia antes e ela acreditava que a vizinha era a culpada

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma mulher de 43 anos foi presa acusada de invadir a casa de uma vizinha de 21 anos e tentar matá-la, nessa terça-feira (11), no centro de Nova Nazaré (800 km de Cuiabá).  A suspeita acusava a vizinha de ter denunciado seu marido, preso no dia anterior.

Ao entrar em casa, a vítima encontrou a vizinha, de 43 anos, com uma faca na mão. O marido havia ficado no carro retirando alguns pertences, momento que ele escutou gritos desesperados da esposa.

A suspeita tentava esfaquear a esposa dele, enquanto gritava que “iria matá-la por ela ter denunciado seu marido”, que, segundo a Polícia Militar, foi preso no dia anterior.

Assim que viu a cena, o homem partiu para cima da suspeita, abraçando-a por trás e tentando desarmá-la. Os dois iniciaram uma luta corporal. O homem teve as roupas rasgadas e alguns arranhões nos braços.

Depois de alguns minutos, o vizinho conseguiu tomar a faca da mão da suspeita, trancou a casa, acionou a Polícia Militar e foi aguardar a equipe em frente ao núcleo da PM.

Os policiais ouviram o que tinha acontecido e foram até a casa da suspeita, onde ela foi presa. Ao ver a vizinha, a vítima que tinha sido ameaçada de morte entrou em estado de choque e precisou ser encaminhada para o hospital, chegando a desmaiar ao entrar na unidade médica e bater a cabeça no chão.

A suspeita, segundo os policiais, apresentava sinais de embriagues alcoólica e foi encaminhada para a delegacia, acusada de tentativa de lesão corporal e ameaça. A faca utilizada no crime foi apreendida e entregue na delegacia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmbrapa defende a pulverização aérea e garante que a aplicação é segura
Próximo artigoJanaina vê erro da Assembleia em não ter alterado plano de carreira dos servidores