Mulher é presa por assassinar companheiro e simular suicídio

A prisão aconteceu quase um mês após o crime, que foi motivado por um pedido de divórcio

Foto: Reprodução

Uma mulher de 41 anos, identificada como Meire Coelho dos Santos, foi presa nessa terça-feira (13) acusada de matar o companheiro, o vigilante Sérgio Júnior Barbosa da Silva, 31 anos, e simular que ele havia cometido suicídio.

O crime ocorreu no dia 18 de setembro, na residência do casal, no Bairro Jardim Renascer, em Campo Novo do Parecis (400 km de Cuiabá). Somente agora, no entanto, as investigações da Polícia Civil concluíram que se tratava de um homicídio.

Em 18 de setembro, Meire acionou a polícia dizendo que Sérgio havia se matado com um tiro na cabeça, após uma discussão do casal.

Uma equipe da Polícia Civil esteve no local e, desde o começo, houve a suspeita de que a cena do crime havia sido mexida, visto que a arma que a mulher dizia ter sido utilizada por Sérgio estava entre as costelas e o braço dele.

A análise preliminar da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) apontou, então, que não poderia se tratar de suicídio.

Com isso, na mesma manhã, a Polícia Civil começou a ouvir testemunhas, algumas intimadas e outras que compareceram voluntariamente. Todas afirmavam que Sérgio era muito alegre e não apresentava nenhum tipo de transtorno, mas que Meire era muito ciumenta e agressiva e, por isso, ele queria se separar.

Foto: Reprodução

Ainda segundo as investigações da Polícia Civil, poucos dias antes do assassinato, o vigilante chegou a pedir ajuda a colegas, queria arrumar uma casa, pois estava decidido a se separar.

O delegado responsável pelo caso, Herbert Yuri Figueiredo Rezende, com apoio dos investigadores Daiana Vieira Padilha e Juliano Antonio de Bastos, então, descobriu que no dia do crime, Meire e Sérgio brigaram e a mulher quebrou o celular do companheiro e todos os vidros do carro dele.

Depois, ela atirou nele enquanto ele dormia e alterou a cena do crime para simular o suicídio.

Após 20 dias de investigação, o delegado Herbet pediu a prisão preventiva da suspeita, que foi deferida pela Justiça e cumprida nessa terça-feira (13) em uma abordagem da Polícia Militar.

Ela foi encaminhada para a Delegacia de Campo Novo dos Parecis, onde passará por interrogatório e ficará à disposição da Justiça.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPandemia de desigualdade: população negra é mais afetada pela covid-19
Próximo artigoApós sete meses, Prefeitura de Cuiabá libera cinemas e teatros