Mulher é libertada pela PM após ser mantida presa e como escrava por companheiro

Ela era obrigada a construir cercas e vinha sendo ameaçada e agredida

Imagem ilustrativa (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma mulher de 30 anos foi libertada pela Polícia Militar nessa terça-feira (27), após ser encontrada por uma equipe da PM sendo mantida presa pelo companheiro e forçada a trabalhar como escrava.

A Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima de que havia uma pessoa sendo mantida em cárcere privado no Bairro Santo Antônio, em Araputanga (340 km de Cuiabá).

Uma equipe foi até o local indicado e, logo que chegou e chamou pelos moradores, uma mulher saiu apavorada, identificou-se como sendo a vítima e disse que o suspeito estava dentro da casa.

Os policiais deram ordem para que o suspeito saísse e ele acatou. Ele contou ter passagens pela polícia.

Questionada, a mulher disse que estava morando com o suspeito há dois meses e, durante esse período, ele a havia proibido de sair de casa e a forçava a trabalhar como escrava, construindo cercas na zona rural.

Além disso, ela afirmou que vinha sofrendo ameaças e agressões, inclusive estava com um hematoma no braço direito e outro na cabeça, que ela disse terem sido causados pelo suspeito na última quinta-feira (22).

Ela contou, ainda, que quando o companheiro consumia bebidas alcoólicas, fazia com que seus filhos menores também ingerissem com ele.

O suspeito foi levado para a delegacia, onde o caso foi registrado como lesão corporal, sequestro e cárcere privado.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBusca e apreensão e notícia anônima
Próximo artigoCom a pandemia a alimentação saudável passou a ser prioridade a mesa