Mulher é denunciada por xingar servente de pedreiro de “preto, vagabundo”, ao ser cobrada

Ele registrou um boletim de ocorrência por injúria mediante preconceito

(Foto: Joca Duarte/Creative Commons-Arq. ABr)

Uma mulher de 45 anos foi denunciada por injúria mediante preconceito nessa terça-feira (16) após xingar um servente de pedreiro, de 50 anos, ao ser cobrada por um serviço que o trabalhador prestou na residência dela.

O caso aconteceu no Bairro Vila Artur, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), por volta das 9h30.

Segundo o profissional, ele trabalhou de servente de pedreiro na casa da mulher e não recebeu pelos serviços, pois precisou ir para Primavera do Leste para trabalhar em outro lugar.

Ao retornar, voltou à casa da ex-patroa para receber e perguntou ao pedreiro que estava no local onde a mulher estava, explicando que havia ido para outra cidade, pois precisava de dinheiro e não havia recebido da dona da casa.

Segundo relato do servente de pedreiro, ao sair do local, ainda perto da casa, ele foi abordado pela ex-patroa, que estava muito nervosa por ter sido informada de que ele havia dito que ela devia para ele.

Conforme o boletim de ocorrência, ele confirmou a dívida e ela começou a xingá-lo dizendo “vagabundo, preto” e que ele tinha invadido a casa dela em sua ausência. A mulher ainda teria empurrado o trabalhador e dito que queria bater nele.

O homem saiu do local e foi seguido pela ex-patroa de carro até a casa dele. Ele resolveu, então, procurar a polícia e denunciá-la por injúria mediante preconceito.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPL em Mato Grosso está pacificado sobre Bolsonaro, diz senador Wellington Fagundes
Próximo artigoO dedo na tomada