Mulher é acusada de furtar desodorante e chama a polícia 

Funcionário da loja abordou a mulher já no meio da rua, em Várzea Grande

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma mulher registrou boletim de ocorrência contra uma loja de departamentos por constrangimento, neste sábado (29), em Várzea Grande. Ela teria sido abordada por um funcionário que a acusou de furtar um desodorante do estabelecimento.

Uma equipe da Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência no bairro Cristo Rei, por volta das 11h55.

Segundo a vítima relatou aos policiais, ela esteve na loja e chegou a pegar o desodorante, mas devido à longa fila, desistiu da compra e colocou o produto de volta à prateleira, saindo da loja em direção a uma farmácia.

Já na Avenida Ari Paes Barreto a mulher teria sido abordada por um homem de moto e capacete, que se identificou como funcionário da loja.

Conforme registro da ocorrência, ele pediu à mulher que abrisse a bolsa, pois câmeras de segurança teria flagrado um possível furto. Sentindo-se ofendida e constrangida, a vítima atendeu ao pedido, mas logo retornou à loja e acionou a PM via 190.

No local, o fato foi confirmado aos policiais pelo fiscal de prevenção da loja. As partes foram encaminhadas para a delegacia.

Direito do consumidor

De acordo com o ex-presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-MT, Rodrigo Palomares, as lojas não devem revistar suspeitos de furto, pois o ideal é acionar as autoridades policiais. Uma indenização pelo constrangimento pode chegar a R$ 8 mil.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS