Mulher cobra marido por chegar tarde e acaba trancada para fora de casa

Professor de dança estava embriagado conforme relatos do boletim de ocorrência

Foto: Ilustrativa

Um professor de dança de 29 anos foi preso na madrugada desta quarta-feira (3) depois de agredir a esposa, de 32 anos, e expulsá-la de casa.

A agressão teria como motivo o fato de ela o ter questionado sobre chegar em casa de madrugada e alcoolizado. O caso aconteceu no Bairro Campo Velho, em Cuiabá.

Conforme o boletim de ocorrência, o casal mora junto há cinco anos e tem um filho. Nesta quarta-feira, o professor chegou em casa por volta das 02h20, em visível estado de embriaguez. Quando a esposa o questionou sobre isso, ele começou a xingá-la.

Em seguida, o homem mandou a esposa ir embora de casa e a agressão física teve início. Ele deu empurrões e chegou a jogar a mulher para fora da residência, sem deixar ao menos que ela pegasse seus pertences.

Assim que conseguiu tirar a mulher da casa, ele trancou a porta e a deixou do lado de fora.

A mulher acionou a Polícia Militar e uma equipe foi até o local e tentou conversar com o suspeito para resolver a situação. Porém, segundo os policiais, ele estava irredutível e alterado, se recusando a sair da quitinete em que o casal mora.

Além de desobedecer à ordem militar, ele começou a xingar a equipe policial. Diante disso, os policiais precisaram arrombar a porta, detê-lo e algemá-lo.

Vizinhos afirmaram para os policiais que viram o suspeito agredindo a esposa. A mulher, no entanto, nega. Segundo ela, o marido apenas a empurrou no momento em que a expulsou de casa.

O professor de dança e a vítima foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Cuiabá, onde o caso foi registrado como injúria real, embriaguez, ocorrência de natureza diversa, desacato e resistência.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA ciência “mais ou menos” do Brasil: vamos sair dessa?
Próximo artigoJosé Medeiros é cotado para assumir Ministério do Turismo