Muita gente vai ficar sem receber, alerta Mauro Mendes

Rombo previsto no orçamento do Governo do Estado é de cerca de R$ 1,5 bilhão em 2019

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

“Muita gente vai ficar sem receber, porque não tem dinheiro em caixa para pagar”, anunciou o governador eleito Mauro Mendes (DEM), após reunião com os deputados estaduais, realizada nesta quarta-feira (5) na Assembleia Legislativa.

A declaração de Mauro se dá por conta de um rombo previsto no orçamento do Governo do Estado de cerca de R$ 1,5 bilhão em 2019. “Esta é a dura realidade do Estado de Mato Grosso”, avaliou o democrata.

A solução, de acordo com o governador eleito, seria aumentar a arrecadação em R$ 750 milhões e economizar outros R$ 750 milhões. “Vamos buscar o equilíbrio, tem que vir metade do corte de despesa e metade do aumento da receita”, explicou Mauro Mendes.

Como forma de ajudar na arrecadação, o próximo governador de Mato Grosso vai encaminhar para a Assembleia Legislativa uma nova lei do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), já que o atual, Pedro Taques (PSDB), não deve prorrogar a contribuição adicional do Fundo, que se encerra dia 31 de dezembro.

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (DEM), ressaltou que os colegas de parlamento devem votar as medidas urgentes do Governo, como o Fethab e a Lei Orçamentária Anual (LOA), apenas em janeiro, quando os parlamentares retornam do recesso.

O chamado Fethab 2 dobra a contribuição do fundo principal sobre operações envolvendo commodities como soja, algodão, madeira e gado em pé. Ele tem arrecadação prevista de R$ 375 milhões neste ano.

Com o fim desse fundo deve continuar apenas a contribuição principal ao Fethab, com arrecadação prevista de 951 milhões neste ano. Ele é formado por contribuições sobre commodities, para investir em infraestrutura, e sobre o óleo diesel, cuja arrecadação é dividida entre o Estado e os municípios.

Se a cobrança for reeditada no próximo ano, já no governo de Mendes, ela só terá validade em 2020.

LEIA TAMBÉM

Estado deve iniciar ano com déficit de quase R$ 1,9 bilhão, diz Mauro Mendes

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro quer votar reforma da Previdência no primeiro semestre
Próximo artigoRecém-eleito deputado, ex-prefeito é multado e prefeitura terá que devolver mais de R$ 700 mil