MT estuda adotar câmeras nos uniforme dos policiais para inibir crimes

Além disso, está em análise a contratação a tecnologia de reconhecimento facial que se comunica com o banco nacional de mandados de prisão

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Durante a inauguração da 4ª Companhia Independente de Segurança Institucional, nesta terça-feira (14), em Cuiabá, o ouvidor-geral de Polícia, Lúcio Andrade, destacou a possibilidade de novos investimentos para a área de segurança em Mato Grosso. Entre elas a aquisição de câmeras acopladas as fardas dos policiais. O objetivo é registrar intervenções dos agentes em áudio e vídeo, além de inibir práticas criminosas.

A 4ª Companhia é ligada ao 1º Comando Regional e está localizada na Praça das Bandeiras. O setor conta com uma sala de monitoramento de onde é possível observar 26 câmeras distribuídas na região, onde se localizam órgãos públicos estaduais, federais e órgãos de controle.

Além disso, está em processo de análise para contratação a tecnologia de reconhecimento facial que se comunica com o banco nacional de mandados de prisão.

“A tecnologia ajuda não só a prevenção e punição de crimes, mas garante mais segurança para nossos agentes. O uso do teaser (aparelho de choque) é uma necessidade para abordagens em que se pode reduzir a letalidade de ações policiais e a exposição ao risco de morte do próprio policial”, afirma o ouvidor-geral de Polícia, Lúcio Andrade.

O vídeo é uma importante ferramenta para inibir a realização do crime e a responsabilização do criminoso. Por isso o ouvidor foi até São Paulo para conhecer o sistema de câmeras instaladas nos uniformes dos agentes da PMSP. A ferramenta já é utilizada em outros Estados como São Paulo, Rondônia e Santa Catarina.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputado diz que PP não tem espaço para acomodar candidatura de ministro
Próximo artigoCerca de 10 mil transplantes deixaram de ser realizados na pandemia