MT envia 42 ônibus para manifestações do 7 de Setembro em Brasília

Manifestantes devem sair no próximo domingo (5) de várias cidades do Estado para mobilização que acontecerá na Esplanada dos Ministérios

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Pelo menos 42 ônibus já estão com a saída confirmada de Mato Grosso para seguirem rumo a Brasília. Os passageiros participarão das manifestações de 7 de Setembro. As caravanas sairão de Cuiabá e também cidades do interior do Estado neste final de semana.

Isso sem contar aquelas pessoas que vão por conta própria em seus veículos e também os ônibus que já seguiram viagem e até já estão na Capital federal.

A administradora e pedagoga Josiany Simas, de 46 anos, é coordenadora de quatro caravanas e também idealizadora do movimento “Patriotas e Conservadores de Mato Grosso”.

“Comecei uma rede para conectar quem tinha interesse em ir para Brasília e tomou essa grande proporção”, comenta.

A viagem começará no domingo (5), às 14h, e a chegada ao destino está prevista para segunda-feira (6) de manhã.

“Não tenho apreensão quanto a acontecer algo ruim, creio que não acontecerá nada”, diz a pedagoga, quando questionada sobre o risco de ter alguma represália ao movimento.

O empresário Carlos Alberto Pereira Junior, 32, conta que já esteve em outras manifestações semelhantes em Brasília e que não há confusão ou qualquer tipo de desordem.

Carlos Alberto comenta que chegou a ver notícias tendenciosas para desestimular as pessoas de participarem das mobilizações de 7 de setembro. Mas para ele não há dúvidas e a programação do feriado será partir de Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá) para Brasília.

“Temos que ir para defender a nossa pátria, nossos valores e nossa liberdade”, enfatiza.

Atos pelo país têm sido planejados como uma defesa ao governo de Jair Bolsonaro (Foto: Agencia Brasil)

Cláudio Ferreira de Souza, de 42 anos, professor e empresário, também de Rondonópolis, se organiza para participar da mobilização. Ele defende que essa é uma grande oportunidade para cobrar que todos os poderes cumpram o que está previsto na Constituição Federal sem interferências uns nos outros.

“A cobrança é para que o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Judiciário como um todo não invadam as esferas do Legislativo e Executivo. Os ministros não nos representam, não são os procuradores do povo”, argumenta. “Os nossos procuradores são aqueles que foram eleitos para nos representarem. E se nós não os quisermos mais ali, votaremos em outros para removê-los de lá”, complementa.

As manifestações direitistas em Brasília devem ser realizadas na Esplanada dos Ministérios. Já as mobilizações de esquerda, também marcadas para a mesma data, devem ser direcionadas para o Complexo Cultural Funarte ou Torre de TV.

Em São Paulo, o ato pró-governo federal acontecerá na avenida Paulista.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAumento da demanda de avaliações judiciais atrai corretores para a profissão de perito avaliador
Próximo artigo“A Libertadora”: deputado federal lança proposta de nova Constituição para o Brasil