MT e outros 16 Estados pedem que Bolsonaro prorrogue estado de calamidade

Carta foi entre nessa sexta-feira (18) ao presidente cita "momento desafiador", com novo aumento de casos da covid-19

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) pediu ao presidente Jair Bolsonaro a prorrogação, por mais seis meses, do decreto de calamidade pública por causa da pandemia. Uma carta com as justificativas foi entregue nessa sexta-feira (18) ao presidente. 

O decreto baixado em março pelo Palácio do Planalto vence no dia 31 deste mês. Além de Mato Grosso, outros 16 Estados entendem que a medida deva ser prorrogada.

O estado de calamidade flexibiliza as regras de gestão, ou seja, enquanto tiver efeitos governadores e prefeitos podem aumentar os gastos públicos e não respeitar a meta de sanidade fiscal. 

Os governadores a favor da prorrogação afirmam que o Brasil ainda “vivencia um momento desafiador, com o aumento do número de casos da doença [covid-19], com elevação da taxa de transmissibilidade em várias regiões brasileiras, alto percentual de utilização de leitos clínicos e de terapia intensiva, e crescimento diário do número de óbitos”. 

“Diante do exposto, apresentamos proposta de prorrogação, por mais 180 dias, do reconhecimento do estado de calamidade pública, uma vez que essa medida asseguraria a continuidade de ações de proteção àqueles que vivem em situação de vulnerabilidade social e que necessitam de auxílios correspondentes neste momento”, complementam. 

Nesta semana, Mato Grosso voltou a registrar casos novos diários da covid-19 no mesmo nível dos meses mais intensivo do contágio. A média diária voltou a ficar acima de 500 novas contaminações. 

Porém, a taxa de ocupação de leitos exclusivos continua estável. O boletim informativo divulgado no fim da tarde desta sexta-feira, pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostra que os leitos de enfermaria estão com taxa de 16% de ocupação e os de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com 45%. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMovimento em aeroportos deve ser 41% menor neste fim de ano
Próximo artigoPolícia identifica autor de crime sexual contra mulher de 32 anos