MT é o terceiro Estado com maior aumento de feminicídios durante a pandemia

Mato Grosso perder apenas para o Acre e o Maranhão, segundo Fórum Brasileiro de Segurança Pública

Foto: Reprodução

Durante a pandemia de covid-19, os casos de feminicídio em Mato Grosso aumentaram 150% entre março e abril deste ano. É o que revela um relatório elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O estudo foi feito a pedido do Banco Mundial.

Feminicídio é o assassinato de uma mulher, cometido devido ao desprezo que o autor do crime sente quanto à identidade de gênero da vítima.

De acordo com os dados, Mato Grosso iniciou o bimestre com seis vítimas e o encerrou com 15. Números que colocam o Estado entre os que tiveram resultado negativo durante o período analisado.

O Estado fica atrás apenas do Acre, que teve aumento de 300%, e do Maranhão, que contabilizou 16 vítimas e um aumento de 166,6%.

Os números só caíram em três Estados: Espírito Santo (-50%), Rio de Janeiro (-55,6%) e Minas Gerais (-22,7%).

No país, o aumento é de 22,2%, um percentual calculado comparando os números com o mesmo período do ano passado.

Os dados foram coletados nos órgãos de segurança dos Estados brasileiros.

Novo contexto

O Fórum confirmou ainda a queda no número de boletins de ocorrência registrados pelas vítimas contra os agressores. A realidade evidencia a maior vulnerabilidade das mulheres e dificuldade em formalizar as queixas.

LEIA TAMBÉM

Os fatores que explicam essa situação são a convivência mais próxima com os agressores. No novo contexto – o isolamento social -, eles podem facilmente impedi-las de se dirigir a uma delegacia ou acessar outros canais de denúncia.

Para a defensora pública Rosana Leite, o fim dos relacionamentos são a principal causa das mortes de mulheres.

Entendo que a violência contra as mulheres sempre foi a mesma, ou seja, não aumentou e nem diminuiu. Apenas apareceu com a chegada da Lei Maria da Penha no Brasil. A meu sentir, o único crime que, de fato, aumentou sobremaneira foi o feminicídio, principalmente pelo inconformismo com o término do relacionamento”, afirmou.

A falta de ação do Poder Público contra esse tipo de crime também é citado pela defensora.

“Existe erro em algum lugar, se a violência contra as mulheres, que pode ser evitada, está ocorrendo em larga escala. O Poder Público está falhando em algum ponto”, finaliza.

(Com Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAgredida, grávida se vinga quebrando para-brisas do caminhão do marido
Próximo artigoCuiabá tem apenas 50% dos agentes comunitários necessários e eles estão mal utilizados

O LIVRE ADS