MT é 4º maior consumidor de energias renováveis do país

Cuiabá é a Capital brasileira com a maior quantidade de instalações para captar energia solar; Sinop também está na lista

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Mato Grosso é o quarto maior consumidor de energias renováveis no Brasil e tem potencial de suprir a demanda global do Estado em 30 anos. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) registra 37,1 mil unidades consumidoras de energias renováveis em solo mato-grossense, 99% são de energia solar.  

O mercado está abaixo somente ao de Estados com população mais de três vezes maior, como Rio Grande do Sul e São Paulo. 

Porém, duas cidades aparecem na lista das maiores consumidoras no país. Cuiabá, dentre as Capitais, está em primeiro lugar e Sinop aparece na 10º colocação no ranking geral. 

“Por se tratar de centros, as Capitais e os consumidores residenciais correspondem a 90% do mercado brasileiro e Cuiabá está neste parâmetro. O restante dos consumidores é de empresas comerciais de médio e grande porte. Mas, a energia solar tem ficado cada vez mais comum”, explica o coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Planejamento Energético da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Ivo Dorileo. 

Crescimento até 2050 

Membro da Sociedade Brasileira de Planejamento Energético (SBPE), o PhD em planejamento de sistemas energéticos diz que Mato Grosso tem condições de produzir 5,6 gigawatts em energia fotovoltaica nos próximos 30 anos.  

Segundo ele, o volume em potencial supriria toda a demanda existente hoje por energia hidrelétrica no Estado. Porém, o recente mercado está travado por questões de infraestrutura e preços. 

LEIA TAMBÉM

“É lógico que ainda se levará anos para o mercado ganhar desenvolvimento mais robusto, mas o que temos até agora é sólido. Dependemos de atualizar a infraestrutura e, para isso, gerar instalação mais barata e impulsionar mais o mercado”, afirmou. 

Conforme a Aneel, o Brasil tem 500 mil unidades consumidores de energia fotovoltaica. Estima-se que o número chegue a 887 mil unidades até 2024.  

O setor corresponde 1,7% da matriz de energia, com crescimento mais acelerado nas regiões Sul e Sudeste.   

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEstúdio tentou barrar Will Smith em Independence Day por ser negro, diz diretor
Próximo artigoCinco torcedores são detidos por invadir área privada da Arena Pantanal