MT arrecada R$ 1,8 bilhão a mais em 4 meses e diz que crise está superada

Crescimento foi impulsionado principalmente pelo agronegócio, cuja arrecadação ficou 33% maior em relação a 2020

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governo do Estado diz que Mato Grosso superou oficialmente o impacto da pandemia na economia, com o crescimento recorde no primeiro quadrimestre de 26,2%. De janeiro a abril, foram arrecadados R$ 8,6 bilhões.  

O montante é R$ 1,8 bilhão acima do arrecadado ao longo do mesmo período de 2020. Os dados foram apresentados nesta terça-feira (1º) pelo secretário de Fazenda, Rogério Gallo, em audiência virtual na Assembleia Legislativa. 

Segundo ele, o recorde levou o governo a alcançar a meta de baixar o volume de gastos com folhas salariais para menos de 50% da receita corrente líquida, projetado na reforma da Lei de Responsabilidade Fiscal do Estado, em 2019. 

LEIA TAMBÉM

“Tivemos um bom comportamento do ICMS, arrecadando 22% a mais do que o que foi arrecadado no mesmo período de 2020, o que fez com que fosse possível que diminuíssemos para abaixo dos 49% o gasto com pessoal, o que nos permitiu nesse momento, podermos pagar a RGA (Revisão Geral Anual)”, disse. 

ICMS

O crescimento da receita foi impulsionado principalmente pelo agronegócio. O setor cresceu 33,7% no primeiro quadrimestre, com exportação de R$ 10 bilhões. Essa expansão refletiu no aumento do ICMS apontado pelo secretário. A arrecadação com a agropecuária ficou 60% maior. 

Foto: Divulgação

Em seguida, aparecem o comércio e serviço com 25%, a indústria com 40%, sempre em comparação aos meses de janeiro a abril do ano passado. 

Conforme o governo, o faturamento total tributável em Mato Grosso cresceu perto de 44%, passando de R$ 119.584 milhões para R$ 172.534 milhões.  

Despesas e investimento 

O governo diz que o nível de investiu cresceu quase três vezes para o período. Eles saíram de 1,5% da receita, em 2020, para 3,5%, neste ano. Os restos a pagar caíram 48,8%, saindo de R$ 1.879,07 milhões para R$ 999,48 mil. 

Por outro lado, as despesas cresceram 6,2%. A saúde teve maior aumento nos gastos em 2021, chegando a 28%, por conta despesas da pasta com a pandemia. A despesa de pessoal cresceu 6,8% e chegou a R$ 4,3 bilhões. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSobrecarga de trabalho
Próximo artigoEx-ministro Pazuello volta a trabalhar no governo Bolsonaro