MPF recomenda que MT seja mais transparente em relação à pandemia

Governador e secretário de saúde tem 5 dias para responder se vão seguir ou não as recomendações

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Ministério Público Federal (MPF) fez uma série de recomendações ao governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e ao secretário de Estado de Saúde (SES), Gilberto Figueiredo. A ideia é que eles garantam mais transparência em relação aos dados da pandemia do novo coronavírus no Estado.

Na semana passada, Mato Grosso foi classificado como o Estado com menor nível de transparência em relação à covid-19, conforme dados divulgados pelo Índice de Transparência da Covid-19 elaborado pela Open Knowledge Brasil (OKBR).

A recomendação feita pela procuradora da República Denise Nunes Rocha Muller Slhessarenko sugere que o Estado disponibilize em um site específico, informações sobre os gastos públicos para o enfrentamento da doença.

A procuradora destacou que isso precisa ser feito “sem omissões e com atualização diária”.

O MPF recomenda ainda que todas as informações envolvendo valores, aplicação dos recursos federais, ações já adotadas pelo Estado e tudo o que estiver relacionado com a pandemia esteja disponível ao público de forma objetiva e transparente.

A procuradora estabeleceu um prazo de cinco dias para que o Estado responda a recomendação e aponte se acata ou não as sugestões.

Uma nova ala dentro do Hospital Metropolitano foi o investimento mais significativo feito pelo governo de MT, até agora (Foto: Maros Vergueiro/Secom-MT)

Supostos erros

A discussão em torno da transparência dos dados do governo do Estado também foi levantada pelo deputado estadual Lúdio Cabral (PT). O parlamentar afirma ter encontrado erros nos números de casos de novos infectados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde.

Segundo o deputado – que é médico sanitarista -, “o boletim epidemiológico do dia 30 de julho traz uma média móvel de 7 dias com 650 casos novos de covid por dia. Mas na realidade, essa média móvel é de 1.360 casos novos por dia”.

O deputado também levanta outra questão que é referente ao número de testes em análise no Laboratório Central do Estado (Lacen-MT). Segundo informações do governo, na semana passada aguardavam resultado 2.783 exames, mas levantamento feito pelo Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) aponta que esse montante poderia chegar a 11.831 testes.

O que diz o Governo do Estado?

O LIVRE entrou em contato com a assessoria de imprensa da SES-MT e do governador Mauro Mendes, mas ainda não obteve resposta. O espaço continua aberto para manifestações.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPandemia faz busca por cursos online aumentar
Próximo artigoHomem aproveita que vizinha está alcoolizada e tenta estuprá-la