MPF pede reprovação das contas de Maluf por pagamentos com recursos clandestinos

Maluf terá que recolher R$ 24 mil de origem não identificada aos cofres da União

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e o Ministério Público Federal (MPF) pediram a reprovação das contas de campanha que reelegeu o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB). A incompatibilidade da quantidade de automóveis com o consumo de combustíveis e despesas quitadas com recursos financeiros de origem clandestina estão entre as divergências encontradas.

Consta no relatório técnico do TRE e na representação do MPF que durante a campanha foram utilizados 4.743,60 litros de etanol e gasolina para 25 veículos. O procurador regional eleitoral Pedro Melo Pouchain Ribeiro destacou que os números são desproporcionais, uma vez que, com isso, teria sido consumido sete litros de combustíveis por dia.

Outro ponto destacado é que somente dois carros, sendo uma L200 e uma Hilux, usaram mais de 1,2 mil litros de diesel para 29 dias, tendo em vista que cada veículo teria utilizado cerca de 22 litros por dia. “Evidente, pois, que o candidato omite despesas com veículos contratados ou cedidos (receita)!!”, disse o promotor.

Também foi destacado que despesas, de pouco mais de R$ 24 mil, foram omitidas pelo deputado reeleito. “Considerando que as despesas omitidas foram quitadas com recursos financeiros de origem clandestina, que transitaram à margem da contabilidade oficial, é rigor seja o candidato compelido a recolher o numerário de R$ 24.013,00 aos cofres do Tesouro Nacional”, conforme trecho da rejeição do MPF.

O deputado argumentou, conforme consta no relatório técnico do TRE, que a incompatibilidade na quantidade de combustíveis com o número de veículos se dá pelo de que prestadores de serviço foram contratados para exercer as atividades com os próprios automóveis.

A explicação, porém, foi rejeitada pelo examinador de Contas do Tribunal Regional Eleitoral Rodrigo Carlos Figueiredo.

Outro lado

O deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), por meio da assessoria de imprensa, informou que antes mesmo da divulgação do parecer do Ministério Público Eleitoral já havia regularizado os apontamentos feitos. Ele ainda diz que agora aguarda com tranquilidade o julgamento de suas contas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça põe fim a embate judicial pela presidência da Fiemt e confirma posse de Gustavo de Oliveira
Próximo artigoMT Criativo lança websérie sobre empreendedorismo cultural em Mato Grosso