MPF pede informações sobre consumo e abastecimento de oxigênio na região de Cáceres

Objetivo é evitar colapso nas redes municipais causado pela falta do produto nas unidades de saúde

(Foto: Imagem Ilustrativa/ D)

Para que o colapso ocorrido em Manaus não se repita em Mato Grosso, o Ministério Público Federal (MPF) pediu informações sobre o abastecimento e consumo de oxigênio nos municípios de Cáceres, Mirassol D’Oeste, Pontes e Lacerda e Comodoro.

Conforme despacho do procurador da República Bernardo Meyer, é notório o caos vivenciado pela ausência de oxigênio nas unidades de saúde, após o substancial aumento do número de casos de covid-19, entre novembro de 2020 e janeiro de 2021.

O procurador ressalta que Mato Grosso vive novo crescimento de casos, o que poderá resultar em um pico acentuado da doença, com o consequente aumento nos casos de assistência hospitalar e internações, resultando, eventualmente, em vertiginoso aumento no consumo de oxigênio medicinal.

“A título ilustrativo, o painel analítico da covid-19 mostra que o Mato Grosso registrou 1.979 novos casos e 31 novos óbitos, com a respectiva média móvel de 1.310 casos e 17,5 mortes”, aponta.

Atendendo o pedido do MPF, os municípios deverão realizar o monitoramento contínuo do estoque de oxigênio medicinal (na forma líquida ou gasosa), a fim de identificar substancial aumento no consumo e a potencial ou a iminência de falta do produto.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDiamantino autoriza retorno às aulas; prefeitos editam novas regras
Próximo artigoSTF nega liminar contra voto presencial para presidência da Câmara