MPE e os R$ 41 milhões

Promotor constatou falta de transparências, mas esclareceu que investigar o eventual desvio é trabalho para o MPF

Promotor de Justiça Arnaldo Justino, do Ministério Público de Mato Grosso

O promotor de Justiça Arnaldo Justino da Silva declinou da investigação de suposto desvio de R$ 41 milhões, repassados pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS) à Prefeitura de Cuiabá. O dinheiro tinha como destino ações voltadas ao combate ao coronavírus.  

Responsável pelo caso no Ministério Público Estadual (MPE), Arnaldo Justino informou nesta quarta-feira (24) que como o dinheiro veio do Ministério da Saúde e a prestação de contas seria perante o Tribunal de Contas da União (TCU), incumbiria o Ministério Público Federal (MPF) apurar a denúncia. 

A suspeita, aliás, foi levantada pelo governo de Mato Grosso. O pedido partiu da Procuradoria Geral do Estado (PGE). 

Ainda de acordo com o promotor, o MPF informou que já existe procedimento em trâmite  com objeto de investigar o caso. 

Arnaldo Justino esclareceu que, no tempo em que cuidou do processo, apurou a falta de transparência nos gastos. Nesse sentido, foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta com a Prefeitura de Cuiabá. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA menos de 24h do lockdown, prefeitura ainda não tem planejamento
Próximo artigoUm mês de discussão: nova data é marcada para reforma da Previdência