MP rescinde contrato de R$ 1,4 milhão com empresa investigada por propina

Contrato foi cancelado seis meses após abertura de investigação e sem citar o suposto envolvimento da TMF Construções

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) cancelou contrato de R$ 1,4 milhão com a TMF Construções e Serviços. A empresa é investigada por suposto pagamento de propina ao ex-servidor público Wanderson de Jesus Nogueira. 

O caso foi descoberto em outubro de 2020, após ação do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco). Na época, já havia sido identificado o contrato do Ministério Público com a TMF, recém-assinado pela Procuradoria Geral de Justiça. 

A decisão de rescisão unilateral foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do MP no dia 16 deste mês. O órgão informa que o cancelamento ocorreu em consequência da revogação de seis lotes de serviços previstos no contrato. Não foi citada a investigação sobre a idoneidade da empresa. 

Manutenção em prédios

O contrato de R$ 1,4 milhão do Ministério Público com a TMF Construções e Serviços foi assinado via registro de preços para a manutenção em prédios e correções com utilização de peças, equipamentos materiais e mão-de-obra para atender as unidades administrativas. 

O acordo foi mantido mesmo com a investigação do Gaeco, braço policial do MP, sobre pagamento de propina da empresa ao ex-secretário-adjunto da Casa Civil Wanderson de Jesus Nogueira. 

O ex-secretário foi preso em flagrante com R$ 20 mil em uma mochila supostamente de pagamento de propina para fraudar ata de licitações do Poder Executivo para a contratação de serviços. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid: Prefeitura de Cuiabá aplicou R$ 72 mil em multas em abril
Próximo artigoLeitão no DEM